segunda-feira, 4 de outubro de 2021

Ação no TSE prova “profissionalismo” dos disparos de mensagens pró-Bolsonaro em 2018


 O Globo  -A disseminação de fake news era “um esquema romântico organizado por Carlos Bolsonaro, mas algo bem estruturado e muito profissional”, pelo menos é o que vai revelar o processo que investiga no TSE o impulsionamento ilegal de mensagens na web. Tudo isso é sobre as eleições de 2018.



Segundo o jornal O Globo, há provas sobre isso no inquérito das fake news. O presidente Bolsonaro e o PT vão poder ter acesso às provas obtidas a partir do compartilhamento do inquérito das fake news. E dos atos antidemocráticos. A permissão foi dada pelo corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Luis Felipe Salomão. Os documentos foram incluídos nos autos das ações de cassação da chapa Bolsonaro/Mourão.

O despacho foi assinado na terça (28) para conclusão das ações. Agora deve ser levadas a julgamento no TSE. As investigações devem ser finalizadas nos próximos dias. O presidente do TSE, Barroso, poderá definir o dia da análise das provas. Alguns integrantes do tribunal querem que os processos sejam julgados antes de Salomão deixar a Corregedoria-Geral



A decisão de Salomão não autorizará que Bolsonaro, alvo do inquérito das fake news, tenha acesso total das provas. Ele só poderá ver os documentos de interesse da investigação. Ou seja, apenas ao que diz respeito das eleições de 2018. De resto, tudo seguirá em sigilo.




Chapa Bolsonaro/Mourão pode ser cassada pelo TSE

Todos sabem que os ministros do TSE vão julgar se as mensagens falsas em massa influenciaram as eleições de modo a desequilibrá-la. Sobre a existência dos disparos em massa, não é segredo para ninguém.

As ações miram a cassação da chapa Bolsonaro/Mourão. O grupo vencedor teria contratado serviço de disparo de mensagens em massa nas redes sociais. Tudo com intenção de manipular o resultado através de notícias falsas.





0 comentários:

Postar um comentário