GOLPE DURO PARA BURGUESADA: Lula foi capa do maior jornal francês e Papa Francisco se manifestou

A carta de Lula, direto da prisão, foi capa de destaque do mais importante jornal francês, o Le Monde.

Rússia e China: pesadelo dos EUA se torna realidade

A nova política dos EUA em relação à China está levando à aproximação entre Moscou e Pequim, comenta o analista russo Timofei Bordachev.

URGENTE: Lava Jato pode ter fraudado documentos para incriminar Lula; CONFIRA CÓPIAS!

Surgem novos documentos que podem comprovar o que declarou o deputado Sibá em um encontro realizado no último sábado (5).

Lula preso sem provas, Paulo Preto ''com cem milhões" solto. Justiça?

Se alguém do campo progressista ainda tinha dúvidas sobre o posicionamento político do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foram relembrados nesta sexta-feira, 11.

Engenheiros da Petrobrás dizem que política de preços de combustíveis beneficia grupos estrangeiros

A AEPET reafirma o que foi expresso no Editorial “Política de preços de Temer e Parente é ‘America First!’ “, de dezembro de 2017.

Mostrando postagens com marcador Notícias. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Notícias. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Mamãe Falei chama Marcelo D2 pra porrada

A reação do youtuber também provocou respostas irônicas dos internautas. Algumas delas lembrando da briga que o deputado provocou na Assembleia Legislativa de São Paulo, recentemente.


Arthur do Val vestiu a carapuça, mas com dois dias de atraso. O deputado estadual também conhecido pelo pseudônimo “Mamãe Falei” (pelo nome do seu canal no YouTube), respondeu somente neste domingo (19) um tuíte do músico Marcelo D2, em que este questionava a direita liberal brasileira por seu perfil fascista, e ainda o desafiou para uma briga.


Tudo começou na sexta-feira (17), quando o vídeo de Roberto Alvim mostrava que o governo liberal de Jair Bolsonaro, liberal na economia, é também fascista na cultura. Então, o músico carioca escreveu o seguinte: “Direita liberal é o caralho, chega… Tinha que fazer uma suástica na testa de cada um desses fdp”.
Direita liberal é o caralho, chega ....

Tinha que fazer uma suástica na testa de cada um desses fdp


9.903 pessoas estão falando sobre isso

A resposta do deputado paulista só veio neste domingo: “Eu sou direita liberal. Vem cá fazer uma na minha. Digitar besteira atrás do computador qualquer falador faz. Machão de Twitter!”.


3.617 pessoas estão falando sobre isso

Porém, a reação do youtuber também provocou respostas irônicas dos internautas. Algumas delas lembrando da briga que o deputado provocou na Assembleia Legislativa de São Paulo, recentemente.

Fonte: Revista Fórum

domingo, 19 de janeiro de 2020

Questionado sobre Ministério da Cultura, Bolsonaro faz silêncio e debocha: 'Palmeiras campeão'

Em meio ao caos vivido na Secretaria de Cultura, que se agravou na última sexta-feira (17) com a demissão do ex-secretário da pasta, Roberto Alvim, Jair Bolsonaro foi questionado pela imprensa na manhã deste domingo (19) se recriaria o Ministério da Cultura para abrigar a atriz Regina Duarte. Além de não responder, Bolsonaro debochou: "Palmeiras campeão"


Na manhã deste domingo (19), ao deixar o Palácio da Alvorada para se dirigir ao culto da Igreja Batista, em Brasília, Jair Bolsonaro foi questionado por jornalistas se recriaria o Ministério da Cultura para abrigar a atriz Regina Duarte



Bolsonaro não respondeu e se limitou a dizer: "Palmeiras campeão", em referência ao título da Florida Cup conquistado pelo clube paulista na noite deste sábado (18).
No culto, Bolsonaro ficou sentado nas primeiras fileiras do templo, e no final deixou o local sem falar com a imprensa.



Caso aceite a proposta, Regina Duarte terá que abrir mão de um salário de no mínimo R$ 60 mil mensais da Rede Globo. Quando a atriz está no ar em alguma novela, a emissora ainda dobra o valor, que chega a R$ 120 mil mensais. No governo, a atriz receberia R$ 15.689,26 mensais, o valor pago aos secretários.


Fonte: Brasil 247

Merval: imagem do Brasil no exterior já era péssima e ficou ainda pior com nazismo no governo Bolsonaro

"A orientação para o setor cultural é dele, e a demissão de Roberto Alvim não terá nenhuma valia se os conceitos sobre arte continuarem os mesmos", diz ele


Era só o que faltava para que a imagem do Brasil, que já é péssima aqui no exterior, ficasse ainda pior. A leniência com que o governo Bolsonaro trata a questão ambiental como um todo, e as queimadas da Amazônia em particular, já provocaram protestos e crises internacionais, e continuam em debate na Europa", diz o colunista Merval Pereira, ao comentar o caso do nazista Roberto Alvim, que foi demitido na última sexta-feira.


"A responsabilidade primeira é do próprio Bolsonaro, que extinguiu o Ministério da Cultura e escolheu para responder pela secretaria uma pessoa desequilibrada e despreparada. Este foi o terceiro nome em um ano, e o único que se enquadrava no que Bolsonaro queria para o setor.



Não foi à toa que Bolsonaro disse que pela primeira vez tinha ’um verdadeiro secretário da Cultura” horas antes de o vídeo fatídico de Alvim ser divulgado. A orientação para o setor cultural é dele, e a demissão de Roberto Alvim não terá nenhuma valia se os conceitos sobre arte continuarem os mesmos", afirma.


Fonte: Brasil 247

sábado, 18 de janeiro de 2020

Até 30 mil alunos podem ter sido prejudicados por falha na correção do Enem, diz Inep

Do jornal O Globo:


O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, disse que até 30 mil candidatos podem ter sido afetados por uma falha na contabilização dos pontos da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O número equivale a pouco menos de 1% dos quase 3,9 milhões de candidatos inscritos.
— É importante registrar que a nossa estimativa, com base em tudo o que rodamos até a madrugada, é que as possíveis inconsistências não cheguem a 1% do total dos 3,9 milhões de participantes. Esse é o público alvo que a gente acha que pode ter tido inconsistências — disse Lopes, que acrescentou na sequência que o número pode até ser menor: — Dentro desse trabalho de rodar e pela experiência que a gente está tendo, a gente estima que chegue a menos de 1%, menos de 30 mil. A gente acha que não vai chegar nem a 9 mil pessoas.





Ainda segundo ele, a falha teria sido cometida pela gráfica responsável pela impressão e transmissão dos dados dos gabaritos ao Inep. Apesar disso, Lopes afirma que a data para abertura do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) continua mantida para a terça-feira (21).

As falhas na contabilização dos pontos de candidatos do Enem começaram a ser reportadas nas redes sociais na noite de sexta-feira. Grupos de estudantes de Minas Gerais relataram que obtiveram pontuações extremamente baixas apesar de terem acertado um número elevado de questões.

(…)

TV Cultura submeteu a Moro lista de entrevistadores do Roda Viva, que aprovou

Começa mal a nova fase do Roda Viva, sob o comando de Vera Magalhães. Fontes revelaram ao Intercept Brasil que o ministro da Justiça, Sergio Moro, recebeu da TV Cultura para aprovação lista com os nomes dos jornalistas que estarão na bancada do programa na próxima segunda-feira (20) para entrevistá-lo



O Intercept Brasil publicou neste sábado (18) que o ministro da Justiça, Sergio Moro, aprovou os nomes dos jornalistas que estarão na bancada do Roda Viva na próxima segunda-feira (20) para entrevistá-lo, na estreia de Vera Magalhães no comando do programa. "Nós confirmamos com fontes", escreveu Leandro Demori, editor executivo do TIB.


"Não me espanta: Moro não sentaria em um canal ao vivo por duas horas sem saber quem estaria na sua frente. Ele, assim como Bolsonaro, vê parte da imprensa como inimiga. Logo ele, que tanto usou a imprensa para seu projeto de poder. Pra Moro, jornalista só serve se escreve notícias de joelhos. Imagine o ex-juiz chegar lá e dar de cara com um dos dezenas de jornalistas que trabalharam e trabalham nos arquivos da Vaza Jato? Nessa hora não dá nem tempo de chamar o Deltan. Moro se preveniu", escreveu Demori, que também criticou Marcelo Tas e o jornalista Pedro Doria:
Na semana que acaba hoje, o programa foi forçado a se manifestar sobre a ausência do TIB na bancada – o público levou ao topo do Twitter a tag #InterceptNoRodaViva. Eu compreenderia um veto de Moro aos nossos nomes, mas o programa negou a interferência editorial do ministro: “Não pedimos sugestões nem submetemos a bancada ao entrevistado.” Então se não pedem sugestões e nem submetem a lista aos convidados, a formação da bancada sem nenhum dos vários jornalistas de vários veículos que participaram da Vaza Jato foi escolha deliberada do programa. Nessa versão dos fatos, Moro tem tanta confiança de que não precisará nos encarar que sequer precisa conhecer a lista. Vocês decidam o que é pior.
A campanha #InterceptNoRodaViva incomodou algumas pessoas. O Marcelo Tas (lembram dele?) mais uma vez atacou nossos jornalistas. Ele já tinha metido os pés pelas mãos antes. Com 9,5 milhões de seguidores e engajamento pífio digno de 9,5 milhões de robôs, Tas usa o TIB pra ter relevância no Twitter de tempos em tempos. Eu fico feliz que o TIB ajude o Marcelo Tas a ter relevância no Twitter uma vez por trimestre. Assim ele pode vender mais cursos sobre como ser relevante no Twitter. Geramos empregos! Vamos em frente!
O jornalista Pedro Doria entrou na onda: retuitou sem checar o ex-apresentador, e comentou: “Estou tentando lembrar quando foi a última vez que um veículo exigiu participar e moveu uma campanha para isso. E não consigo lembrar.” Pedro: você não consegue lembrar porque nunca existiu. A campanha partiu do público. Uma hora te mostro como pesquisar no Twitter (é fácil, prometo).
Os dois são exemplos de pessoas que não suportam que exista crítica de mídia no Brasil, porque eventualmente ela atingirá amigos e até a eles próprios (imagina se trabalhassem aqui no TIB, um dos veículos mais criticados do país...).
gente que sim.



Fonte: Brasil 247

Imprecionante: órgão responsável pelo Enem posta texto com erro de português

A conta do Inep, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, no Twitter cometeu um erro de português na sexta-feira, dia 17.


“Já são mais de 2,5 milhões de vizualizações (sic) das notas do Enem”, escreveu algum semianalfabeto de um governo de apedeutas.
Após a repercussão, a mensagem foi apagada.
Imprecionante.


Fonte: DCM

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

'Você está falando da tua mãe?', responde Bolsonaro sobre contratos de chefe da Secom

Presidente fez ataques à Folha ao ser questionado sobre Wajngarten, cuja empresa recebe dinheiro de emissoras contratadas pelo governo




General detona Bolsonaro e critica uso de militares para reduzir fila do INSS

O General Santa Cruz veio a público hoje (16), criticar o uso de militares da reserva para reduzir as filas no INSS. Ele é um dos nomes mais respeitados e com grande influência nas Forças Armadas, foi Ministro do governo Bolsonaro, sobre o uso de militares, ele afirmou: “Colocar militares para qualquer coisa é simplismo, falta de capacidade administrativa”.


O General Carlos Alberto dos Santos Cruz, ex-Ministro do governo Bolsonaro veio a público desferir uma crítica a Bolsonaro e o que segundo ele seria a falta de “capacidade administrativa” do governo Bolsonaro: o uso de militares da reserva para diminuir as filas do INSS. As filas se amontoam em todas cidades, atrasos, em vez de Bolsonaro pensar em uma solução como concursos ou coisa do tipo o jeito é … chamar os militares da reserva.
”Militares no INSS? Não tem cabimento. Os funcionários do INSS sabem dar as ideias para a solução. Tem que valorizar a instituição e as soluções irão aparecer. Colocar militares para qualquer coisa é simplismo, falta de capacidade administrativa. É obrigação valorizar as instituiçõea” disse o General Santa Cruz.



Além de ter dito que chamar militares da reserva configura uma falta de capacidade administrativa, ele também disse em entrevista a BBC que o governo Bolsonaro se afastou do combate a corrupção. Ele também disse na ocasião que Bolsonaro deixou o PSL, não por divergências políticas ou ideológicas mas pelo dinheiro do fundo eleitoral.
O desmonte produzido pelo governo Bolsonaro, parece que vem dando frutos.


Servidores do INSS são contra a medida de Bolsonaro de usar militares da reserva para diminuir as filas do INSS e pretendem ir a Justiça.  A categoria defende a contratação de servidores temporárias para a missão e a realização posterior de concursos públicos para reforçar o corpo do orgão, mostra reportagem do UOL

Militares no INSS? Não tem cabimento. Os funcionários do INSS sabem dar as ideias para a solução. Tem que valorizar a instituição e as soluções irão aparecer. Colocar militares para qq coisa é simplismo, falta de capacidade administrativa. É obrigação valorizar as instituições.

1,238 people are talking about this

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Bate-boca entre Jair Bolsonaro e internauta viraliza nas redes sociais

Bate-boca dá a dimensão da perda de apoio de Jair Bolsonaro entre os seus eleitores. Jovem cobrou o presidente pelo subsídio nas contas de luz que ele pretender dar às igrejas



Um bate-boca na rede social dá a dimensão da perda de apoio de Jair Bolsonaro. Maycon Rodrigues cobrou o presidente pelo subsídio nas contas de luz que ele quer dar às igrejas.
“Subsídios para igrejas pagarem um valor menor em energia elétrica, aí não, né, presidente?”, comentou Maycon em uma postagem da página de Bolsonaro no Facebook.
Jair Bolsonaro respondeu como de costume: com muita agressividade. “Beber até cair não dá, né, Maycon?”, respondeu. Bolsonaro provavelmente não o conhece em pessoa.
E fez o comentário em razão da foto de Maycon na rede social, em que ele segura uma latinha de cerveja. Maycon, que teve quase 1.400 reações com seu primeiro comentário, não se intimidou.
“Pode sim, é com meu dinheiro e não dinheiro público”, disse. A resposta teve mais de 2000 mil curtidas. Seguidores de Bolsonaro se manifestaram a favor de Maycon, na página do presidente.
“Ele pode beber quantas quiser, agora acho um desaforo ficar pagando conta de energia de igrejas, elas já conseguem ludibriar muitas pessoas e têm dinheiro suficiente para pagar impostos e energia elétrica”, comentou Sandra Regina Naspolini.
Basta uma olhada rápida pelo seu perfil no Facebook para ver que Sandra é bolsonarista-raiz, assim como Thiago Luperini, que até pouco tempo atrás exibia sua foto com a frase “Eu sou caixa 2 do Bolsonaro”.
“Se ele bebe, o problema é dele, mas a conta de energia… esse problema é nosso. E tem gente que aplaude, depois não vão reclamar do preço de energia…”
Bolsonaro silenciou na polêmica em sua rede social, mas os milicianos digitais reagiram, numa linha que é conhecida no submundo na internet: com ataques pessoais, para fragilizá-lo lo emocionalmente.
Espalharam memes em que ele aparece ao lado da esposa, com chifre desenhado sobre sua cabeça e a frase: “Sou cornão vacilão”. Maycon não esperava esse tipo de reação.

Irritação e vitimismo

Hoje Bolsonaro abordou o tema do subsídio às igrejas, em sua manifestação à imprensa, na porta do Palácio da Alvorada, e tentou se passar por vítima.
“Eu estou apanhando e não decidi nada ainda. Eu não sei por que essa gana de dar pancada em mim o tempo todo. Eu assinei o decreto? Mas por que essa pancada?”
O senhor vai assinar?, perguntou uma repórter. “Eu decido aos 48 do segundo tempo ou 54. Lembra que o Palmeiras ganhou um jogo aos 54 do segundo tempo? Eu decido na hora certa”, disse.
Em seguida, foi questionado sobre uma revelação, contida no livro “Tormenta – O governo Bolsonaro: Crises, Intrigas e Segredo”, de Thaís Oyama.
“O livro é fake news, o livro é mentiroso, eu não vou responder sobre o livro”, disse, provavelmente sem ter lido a obra, que será lançada na sexta-feira.
O senhor mandou o Queiroz faltar ao depoimento, presidente?, questionou um jornalista, a respeito de uma informação do livro, segundo a qual foi por orientação dele que o ex-assessor de Flávio Bolsonaro não foi ao Ministério Público do Rio de Janeiro, ainda antes da posse.
Bolsonaro deu as costas, sob aplauso de meia dúzia de apoiadores. O presidente continua agindo como se os outros não pudessem confrontá-lo.
Com jornalistas, virou rotina, sem que, diga-se, haja reação à altura. A novidade agora é que até quem gritava Mito ate dias atrás já não fica passivo diante desse comportamento autoritário.
Bolsonaro precisa saber que uma hora o gado se rebela. Já tem bolsominion mugindo de contrariedade.


Fonte: DCM

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

O choro é livre: PSDB não se conforma com indicação de Democracia em Vertigem ao Oscar

Apoiadores do golpe contra Dilma Rousseff, que aconteceu em 2016, já demonstram revolta com o fato de "Democracia em Vertigem" ter sido indicado nesta segunda-feira (13) oficialmente ao Oscar 2020 no quesito "melhor documentário". O filme sobre a ruptura institucional é dirigido por Petra Costa e distribuído pela Netflix.


"Parabéns à diretora Petra Costa pela indicação de melhor ficção e fantasia por Democracia em Vertigem", postou o PSDB no Twitter.

O Movimento Brasil Livre também criticou a indicação. "O MBL fez seu próprio filme sobre o impeachment de Dilma, prestigiando você que foi às ruas para construir um Brasil melhor, e não quem estava roubando a nação nos Palácios em Brasília. Assista agora ’Não Vai ter Golpe’ no iTunes, Youtube, Google Play, NET Now e Looke".



"Democracia em Vertigem: Oscar de efeitos especiais para o maior assalto da história", afirmou um internauta.

O secretário Especial de Cultura do governo Federal, Roberto Alvim, ironizou a indicação. "Se fosse na categoria ficção, estaria correta a indicação", afirmou Alvim à coluna de Mônica Bergamo nesta segunda (13).



Fonte: Brasil 247

Estadão diz em editorial que Bolsonaro está “sem rumo” em um “governo perdido”

Jornal da família Mesquita, que serve de porta-voz ao sistema financeiro e ao empresariado paulista, afirma que "são abundantes os sintomas de que o governo está perdido"


Em editorial nesta segunda-feira (13), o jornal O Estado de S.Paulo criticou a falta de “rumo definido” de Jair Bolsonaro à frente do governo, classificado como perdido pela publicação da família Mesquita, que serve de porta-voz ao sistema financeiro e ao empresariado paulista.
“No início de seu segundo ano, o governo de Jair Bolsonaro dá claros sinais de estar sem rumo definido. A cada semana surgem novas medidas e ações, absolutamente pontuais e sem um objetivo comum”, diz o texto, que diz ainda que Bolsonaro está tirando “eficácia da ação estatal”. “Essa falta de coordenação provoca atritos e tensões absolutamente desnecessários entre órgãos do governo”.
O jornal critica diretamente duas medidas recentes de Bolsonaro: a de conceder subsídios nas contas de luz de templos religiosos e da redução, para colocar fim em um futuro próximo, ao Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT).
“Como era previsível, a equipe econômica manifestou resistência à proposta do subsídio na conta de luz para as igrejas. O ministro da Economia, Paulo Guedes, sempre defendeu a necessidade de reduzir esse tipo de benefício”, diz o jornal, sempre saindo na defesa das políticas neoliberais de Paulo Guedes, tentando descolar o ministro do governo.
Segundo o Estadão, “são abundantes os sintomas de que o governo está perdido”. “Mas há reformas a serem feitas, e este é o caminho óbvio que o País deve seguir. Há um país a ser governado. Basta querer fazê-lo”, sentencia o jornalão.

Fantástico chama empregados de aplicativos de “empreendedores” e apanha nas redes

Internautas acusam o programa de promover a chamada "glamourização" do trabalho precarizado


O Fantástico, programa da TV Globo, exibiu uma reportagem na noite deste domingo (12) sobre o uso de aplicativos e redes sociais por pessoas desempregadas como forma de obtenção de renda. O trabalhador informal é tratado na matéria como “empreendedor”, termo que gerou críticas nas redes sociais. Internautas acusam o programa de promover a chamada “glamourização” do trabalho precarizado.


Dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelaram que 41% da população ocupada do país atua no mercado informal. O número de desempregados continua alto, beirando os 12 milhões, apesar da leve redução nos últimos meses.
No entanto, de acordo com a reportagem do Fantástico, o uso de redes sociais e aplicativos para o trabalho, como é o caso de motoristas de Uber e entregadores do iFood, nada mais é do que uma “reinvenção” talentosa de quem quer “melhorar o próprio negócio”, ignorando as jornadas exaustivas, o salário baixo e a falta de benefícios de quem recorre a esse mercado.


“O Fantástico quer convencer as pessoas de que trabalho precário e informalidade é sinônimo de empreendedorismo. Uma trabalhadora afirma: ‘A gente empreende desde que nasce. Eu também chamo isso de sobrevivência’. Não caiam nessa. Insegurança econômica não tem nada de glamoroso”, escreveu Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL.
To impressionado com essa matéria do Fantástico romantizando jovens ‘empreendedores’, na verdade isso é resultado do desemprego em massa que essa merda desse governo que vocês apoiaram não está resolvendo, trabalho intermitente e frila não é normal para uma economia sadia”, escreveu outro internauta.


O jornalista Murilo Ribeiro chamou atenção para o nervosismo do apresentador Tadeu Schmidt ao ler uma crítica à reportagem durante o programa. “Aí o Fantástico exibe uma matéria falando das maravilhas do ‘empreendedorismo’. Aí, depois, o Tadeu teve que ler esse esculacho do telespectador ao vivo. E se embolou todo. Que constrangimento!”, disse.

Fonte: Revista Fórum
Confira:


Aí o exibe uma matéria falando das maravilhas do “empreendedorismo”. Aí, depois, o Tadeu teve que ler esse esculacho do telespectador ao vivo. E se embolou todo. Que constrangimento!
Ver imagem no Twitter
1.154 pessoas estão falando sobre isso