GOLPE DURO PARA BURGUESADA: Lula foi capa do maior jornal francês e Papa Francisco se manifestou

A carta de Lula, direto da prisão, foi capa de destaque do mais importante jornal francês, o Le Monde.

Rússia e China: pesadelo dos EUA se torna realidade

A nova política dos EUA em relação à China está levando à aproximação entre Moscou e Pequim, comenta o analista russo Timofei Bordachev.

URGENTE: Lava Jato pode ter fraudado documentos para incriminar Lula; CONFIRA CÓPIAS!

Surgem novos documentos que podem comprovar o que declarou o deputado Sibá em um encontro realizado no último sábado (5).

Lula preso sem provas, Paulo Preto ''com cem milhões" solto. Justiça?

Se alguém do campo progressista ainda tinha dúvidas sobre o posicionamento político do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foram relembrados nesta sexta-feira, 11.

Engenheiros da Petrobrás dizem que política de preços de combustíveis beneficia grupos estrangeiros

A AEPET reafirma o que foi expresso no Editorial “Política de preços de Temer e Parente é ‘America First!’ “, de dezembro de 2017.

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Presidente do PSOL em Xapuri foi vítima de emboscada

A polícia do Acre já sabe que o presidente do PSOL em Xapuri, Josemar da Silva Conde, o “Tripinha”, foi vítima de uma emboscada. O Ac Jornal divulgou fotos e um vídeo do resgate do corpo de Josemar. Segue um trecho da reportagem, que traça paralelo entre o crime de agora é o de 31 anos atrás, que vitimou Chico Mendes:

Hoje, 31 anos depois, parece que nada mudou na Princesinha do Acre. Mais uma morte pelos mesmos motivos chamou a atenção do Brasil, com destaque no noticiário nacional.
O presidente municipal do PSOL, candidato a vice-prefeito na eleição passada, o produtor rural e mecânico de moto Josemar da Silva Conde , o “Tripinha” (47) foi vítima de uma emboscada , no meio do Mato, a poucos metros de sua colônia, no ramal Filipinas, seringal Barra, colocação Campo Verde, na reserva extrativista Chico Mendes.


Ele foi alvejado nas costas por um tiro de espingarda de grosso calibre, disparado de dentro do Mato pelo próprio vizinho, um senhor conhecido apenas por “Chico Doido”.
A motivação para o assassinato teria sido uma questão judicial por causa do limite territorial das terras. Os dois nunca chegaram a um acordo sobre a linha divisória dos terrenos.
O presidente municipal teria recebido um chamado de “Chico doido” para ir até a casa dele. Seria uma indicação de que os dois poderiam se acertar amigavelmente.


Mas Josemar não chegou nem a adentrar nas terras do vizinho e já foi surpreendido pelo estrondo do tiro e morreu às margens do caminho.
Devido à dificuldade de acesso o corpo ficou no local mais de 12 horas e só foi resgatado no dia seguinte, quinta-feira (21), por um helicóptero da secretaria de segurança pública, deslocado de Rio Branco para Xapuri.


(…)
Até o início da noite desta quinta feira (21) o autor do disparo não tinha sido preso e a polícia continuava embrenhada na floresta à caça dele.

O presidente do PSOL, Juliano Medeiros, se solidarizou com a família e pediu à polícia o rápido esclarecimento do caso. Segundo ele, é preciso saber se houve motivação política.
.x.x.x.


Leia mais no DCM

Witzel detona Moro e diz que ele protege Bolsonaro no caso Marielle

Na guerra declarada com o governo federal, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), apontou sua artilharia para um novo inimigo: o ministro da Justiça, Sergio Moro. Hoje, depois de anunciar que vai processar o presidente Jair Bolsonaro por tê-lo acusado de manipular a polícia no caso Marielle, o governador criticou Moro por pedir abertura de inquérito contra o porteiro do condomínio Vivendas da Barra. Foi ele que, em depoimento à polícia, disse que Élcio Queiroz, um dos acusados pela morte de Marielle Franco, anunciou que ia à casa de "seu Jair", no dia do assassinato.


"Esse inquérito instaurado, no meu ponto de vista, é indevido", atacou Witzel, que é juiz federal aposentado. "Pegaram uma testemunha para transformar em investigado por calúnia na Lei de Segurança Nacional, por obstrução de justiça e organização criminosa, que nem é o caso, porque o que está se investigando não é organização criminosa. E ainda por cima o crime de falso testemunho, algo que se apura só no final, quando o juiz dá a sentença e há evidências disso".



Depois de listar as barbeiragens no procedimento, apontou o responsável: "É um inquérito requisitado pelo ministro da Justiça, a meu ver absolutamente indevido". O governador disse que Moro faz afirmações "levianas, de que há indícios de fraudes na condução do processo", que está em segredo de Justiça. "Eu não tive acesso, acredito que o ministro da Justiça também não teve acesso. E se teve acesso, está falando além do que ele deveria falar. É preciso que as coisas sejam restabelecidas", reclamou.


Depois de passar de testemunha a investigado, o porteiro depôs à Polícia Federal na terça-feira 19. Curiosamente, mudou a versão inicial e tirou Jair Bolsonaro do imbroglio.

O governador atribuiu os arroubos de Bolsonaro contra ele ao fato de a família presidencial estar na mira de investigações. "Não posso tentar manipular a polícia para impedir que investigações sejam realizadas. Não importa contra quem quer que seja. Se o Flávio Bolsonaro está sendo investigado, se esse processo do caso Marielle tem um fato que envolve a casa do presidente, isso não compete a mim", afirma. Witzel diz que os esforços agora são para identificar o mandante do crime. "A Polícia Civil está no caminho, a federalização não é necessária. A própria família da Marielle pediu para que a investigação continue no Rio de Janeiro".



A declaração do presidente contra o governador fluminense foi dada depois que o jornalista Kennedy Alencar informou que outro filho, Carlos Bolsonaro, estaria sendo investigado no caso do assassinato de Marielle e seu motorista, Anderson Gomes.



Fonte: UOL

🎥Ministro da Educação diz que Universidades Federais escondem plantações de maconha

Assista à fala do ministro abaixo, é inacreditável:

O Ministro da Educação acusando Universidades Federais de terem plantações extensivas de maconha e laboratórios de drogas sintéticas.

VAI TOMA NO CU


1.168 pessoas estão falando sobre isso

Bolsonaro envia projeto que isenta policiais e militares de punição por crimes

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (21) ter enviado ao Congresso um projeto de lei para isentar de punição militares e policiais que cometerem excessos durante operações de garantia da lei e da ordem.


O anúncio foi feito durante o lançamento da Aliança pelo Brasil, partido que o presidente quer criar e que tem como pilares um forte apelo ao discurso religioso, a defesa do porte de armas e o repúdio ao socialismo e ao comunismo.

O projeto é uma promessa de campanha de Bolsonaro. No evento, o presidente defendeu que a segurança pública seja reforçada para acompanhar a recuperação da economia.



Segundo o presidente, a ideia é que, nessas operações, agentes não sejam punidos por eventuais excessos cometidos.

O projeto enviado pelo Executivo ao Congresso trata do excludente de ilicitude a militares em operações de garantia de lei e da ordem —como as que ocorreram no Rio de Janeiro, em Roraima e no Amazonas.


Fonte: Folha de São Paulo