quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Sikêra Jr. tem primeira derrota na Justiça em ação contra Neto, que o acusou de ser homofóbico

 


UOL - Bolsonarista causou revolta após dizer ao vivo, no programa exibido no dia 25 de junho, que os homossexuais são uma "raça desgraçada"



Chamado de homofóbico, o bolsonarista Sikêra Jr. sofreu a primeira derrota no processo que abriu contra Neto. A Justiça indeferiu a liminar em que o apresentador do Alerta Nacional pedia para retirar as críticas do rival sobre ele das redes sociais. A discussão entre os apresentadores teve início em junho, quando o contratado da Band se revoltou com os comentários de Sikêra Jr, da RedeTV!, a respeito da comunidade LGBTQIA+. A informação é do portal UOL. 



Indignado por ser apontado como uma pessoa discriminatória ou preconceituosa, José Siqueira Barros Júnior -nome de batismo do comunicador de 55 anos- foi ao Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas pedir indenização de R$ 44 mil. No processo, ele exigiu que o ex-jogador de 54 anos retirasse as gravações em que é citado pelo ex-craque nas redes sociais. A ação corre na 6ª Vara do Juizado Especial Cível de Manaus desde o dia 13 de julho.

Em decisão de 27 de julho, o juiz Celso Antunes da Silveira negou a solicitação que o apresentador do Alerta Nacional fez em caráter imediato. "Indefiro o pedido de tutela de urgência, para pedido de retirada de conteúdo da internet, nos termos do decidido na ADPF [Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental] 130, do STF, que declarou a não-recepção da Lei de Imprensa", observou o magistrado.



Na sequência, José Ferreira Neto --nome de batismo do comentarista esportivo-- ganhou um período para se manifestar oficialmente perante à Justiça. "Cite-se a parte ré, intimando-se lhe para apresentar resposta e eventuais documentos/mídias que contenham áudio/vídeo, no prazo de 15 (quinze) dias, sob pena de revelia", observou Silveira.

Relembre o caso

Sikêra Jr. causou revolta após dizer ao vivo, no programa exibido no dia 25 de junho, que os homossexuais são uma "raça desgraçada". O ataque gerou uma ação do movimento Sleeping Giants, que promoveu uma campanha de desmonetização de marcas que patrocinam o programa. Até o momento, 63 marcas deixaram de financiar o bolsonarista, que lucrou com R$120 mil para fazer propaganda do governo federal. 





0 comentários:

Postar um comentário