sábado, 31 de julho de 2021

Recurso, recesso e indefinição de Lira dão sobrevida a Flordelis

 

Metrópoles - Processo de cassação da deputada está pronto para ser votado no plenário da Câmara, mas Arthur Lira (PP-AL) ainda não marcou a votação



Quase dois meses após o Conselho de Ética da Câmara aprovar parecer pela cassação da deputada Flordelis (sem partido-RJ, a parlamentar segue exercendo o mandato e recebendo o salário mensal de R$ 33,7 mil brutos.



Flordelis vem ganhando “sobrevida” graças a uma combinação de fatores, que vão desde recursos regimentais, atraso na remessa do processo pelo Conselho de Ética e indefinição do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

O conselho concluiu a análise do caso em 8 de junho. Como a coluna noticiou, o presidente do colegiado, Paulo Azi (DEM-BA), porém, demorou a comunicar a conclusão para que Lira abrisse o prazo regimental para recurso.



A deputada recorreu à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. O recurso foi negado em 13 de julho, véspera do início do recesso parlamentar, que só acabará em 3 de agosto.

Agora, o processo depende apenas de Lira para ser finalmente votado no plenário da Casa, última etapa da tramitação. Até agora, porém, ele não marcou a votação. Procurado, o presidente da Câmara não respondeu.




0 comentários:

Postar um comentário