domingo, 1 de março de 2020

Bolsonaro repete ofensa racista e diz a apoiador negro: "você está com oito arrobas"

“E você está com oito arrobas” -esta foi a maneira como Jair Bolsonaro reagiu a um apoiador negro que o elogiou neste sábado, repetindo a ofensa racista de 2017 no Clube Hebraica. Da mesma forma como da vez anterior, a plateia riu


Jair Bolsonaro repetiu neste sábado (29) o comentário racista que fizera em 2017, durante a campanha eleitoral, num evento no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro. Foi num um evento do Aliança pelo Brasil, em Vitória (ES), do qual participou. “Bolsonaro, sou negão, votei em você e em 2022 vou votar de novo. Você é o melhor presidente do Brasil”, disse o apoiador, negro, ao presidente. “E você está com oito arrobas”, respondeu Bolsonaro, arrancando risadas dos presentes, como acontecera com a plateia da Hebraica.A conferência foi feita por meio do telefone celular da advogada Karina Kufa, que articula a criação do novo partido, que não conseguiu recolher nem 4 mil assinaturas validadas pela Justiça Eleitoral até o momento. O áudio da conversa foi reproduzido nos alto-falantes do evento, que reuniu entre 1 mil e 2 mil pessoas em Vitória, segundo os organizadores, informa o jornalista Vinícius Valfré, de O Estado de S.Paulo.
Em 5 de abril de 2017, Bolsonaro, afirmou que, se fosse eleito, acabaria com todas as reservas de terra de indígenas e quilombolas. "Eu fui num quilombo. O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada. Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gasto com eles", discursou sob risadas dos membros da comunidade judaica carioca presentes. Disse mais: “Se eu chegar lá (na Presidência), não vai ter dinheiro pra ONG. Esses vagabundos vão ter que trabalhar. Pode ter certeza que se eu chegar lá, no que depender de mim, todo mundo terá uma arma de fogo em casa, não vai ter um centímetro demarcado para reserva indígena ou para quilombola.”
Bolsonaro chegou a ser condenado na primeira instância pela ofensa racista, mas foi absolvido na segunda. Na época, a Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas destacou que, "durante mais de três séculos e meio, pessoas negras foram legalmente comercializadas como escravas no Brasil, comercializadas inclusive em função da massa corporal que ostentavam".


Na semana passada, durante uma transmissão ao vivo pela internet, Bolsonaro atribuiu a cor do deputado federal Hélio Lopes (PSL-RJ), que é negro, ao tempo a mais que ele teria passado na barriga da mãe. Em tom de brincadeira, Bolsonaro associou, por meio de uma metáfora, a gestação a um forno, e Hélio teria dado uma "queimadinha" ao demorar dez meses para nascer.


Fonte: Brasil 247
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário