quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Calamidade no Sudeste: Governo Bolsonaro cortou verbas para prevenção de desastres naturais

Cidades da região Sudeste do Brasil estão sendo castigadas com deslizamentos de terras e enchentes, que acarretam a morte de dezenas de pessoas e o desabrigo de milhares. Não é uma decorrência apenas de fenômenos climáticos mas da deterioração da infraestrutura das regiões atingidas. O governo Bolsonaro usou menos de um terço dos recursos previstos no Orçamento para prevenção de desastres naturais durante o primeiro ano de sua gestão


A calamidade que atinge dezenas de municípios nos estados de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro está diretamente relacionada com o corte de verbas para obras obras estruturantes e projetos de contenção de inundações. 
Estudo feiro pela Folha de S.Paulo demonstra que os gastos para este fim atingiram o menor patamar em 11 anos. 
Até agora, somente em Minas Gerais morreram 52 pessoas e mais cerca de 29 mil estão desalojadas ou desabrigadas em decorrência das fortes chuvas e enchentes. 


Reportagem dos jornalistas Thiago Resende e Bernardo Caram informa que a verba para ações de prevenção de desastres naturais em 2019 era de R$ 306,2 milhões, valor bastante inferior ao patamar de anos anteriores. Em 2012, o montante equivalia a R$ 4,2 bilhões em valores corrigidos pela inflação.



Reações:

0 comentários:

Postar um comentário