domingo, 29 de dezembro de 2019

Comportamento inconsequente de Bolsonaro assusta equipe de segurança

O estilo imprevisível do atual mandatário do Palácio do Planalto fez com que o GSI (Gabinete de Segurança Institucional), responsável por sua segurança adotasse práticas que não eram vistas nos mandatos anteriores.


Tudo isso porque em seu afã de exibir-se como um chefe de governo popular, o titular do Executivo não cumpre normas, expondo-se a riscos.

Esse comportamento, considerado inconsequente por assessores palacianos, assusta a equipe de segurança do Planalto.

Reportagem dos jornalistas Daniel Carvalho e Gustavo Uribe na Folha de S.Paulo destaca que desde que levou uma facada na campanha eleitoral, Bolsonaro passou a usar, quando se expõe em público, um colete à prova de balas por baixo do terno. Além disso, a segurança no Palácio do Alvorada, residência oficial, foi alterada.



Medidas adicionais de segurança foram tomadas na entrada do Alvorada, como a instalação de grades e detector de metais, além do fichamento de visitantes e jornalistas, que são obrigados a passar pelo equipamento de segurança antes de ir à área onde Bolsonaro costuma parar para falar em público e dar entrevistas.

A reportagem narra que apesar das medidas preventivas, Bolsonaro não está imune a situações delicadas, como quando um manifestante o questionou sobre o paradeiro de Fabrício Queiroz, ex-assessor de seu filho Flávio Bolsonaro, envolvido no escândalo de desvio de dinheiro público no esquema conhecido como "rachadinha".



Bolsonaro já demonstrou incômodo com os protocolos de segurança e já disse que se sente um prisioneiro sem tornozeleira eletrônica. Toda semana ele inventa um passeio por Brasília, o que pega de surpresa a equipe de segurança.


Fonte: Brasil 247
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário