terça-feira, 25 de junho de 2019

Deputado vai acionar CCJ e PGR para que Moro e Dallagnol esclareçam “viagem surpresa” aos EUA

De supetão, Moro viajou para os Estados Unidos em meio ao escândalo de conversas com procuradores divulgadas pelo The Intercept Brasil e usou a viagem como desculpa para não comparecer à Câmara, onde foi convidado para esclarecer o caso


O deputado federal Alencar Santana (PT-SP) informou, nesta segunda-feira (24), que vai apresentar um requerimento à Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Câmara e um outro à Procuradoria-Geral da República  (PGR) para que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, esclareça a viagem que fez de supetão aos Estados Unidos.
No requerimento, Santana questionará desde quando estava marcada e qual a razão da viagem “surpresa” do ex-juiz. O chefe da força-tarefa da Lava Jato, procurador Deltan Dallagnol, também foi à terra do Tio Sam ao mesmo tempo que Moro. Daí o motivo de Alencar acionar, além da Câmara, a PGR.


“Essa viagem não é, no mínima, muito estranha quando os dois devem explicações ao país depois da divulgação de mensagens em que combinavam estratégias de perseguir alguns e evitar melindrar outros na Lava Jato?”, questionou o deputado.


A viagem de Moro acontece em meio ao escândalo de conversas entre o ex-juiz e procuradores da Lava Jato que vêm sendo divulgadas pelo site The Intercept Brasil. Os diálogos mostram que Moro conduziu de maneira parcial o processo do ex-presidente Lula, agindo em acordo com procuradores para levar o petista à cadeia e interferindo diretamente, inclusive, até mesmo na composição da banca acusatória. Juristas e especialistas têm argumentado que a atuação de Moro mostrada nas conversas é ilegal e que o processo contra Lula deve ser considerado nulo.


O ministro da Justiça usou a viagem aos EUA para justificar sua recusa ao convite da Câmara para se explicar sobre o caso. Na semana passada, o ex-juiz prestou esclarecimentos ao Senado.
“Moro não pode fugir, ainda mais para os EUA. Uma viagem de um Ministro de Estado para outro país não é articulada assim, do dia para noite. E cancela a ida à Câmara alegando sair do Brasil justamente com o outro envolvido nas conversas ilegais entre juiz e procurador no caso do processo que levou à prisão de Lula e garantiu a vitória de Bolsonaro, hoje chefe de Moro”, escreveu Alencar em nota submetida à Fórum.
“O Ministro da Justiça precisa entender que não está acima das instituições e nem muito menos do Poder Legislativo”, completou o parlamentar.
Os requerimentos preparados pelo deputado devem ser apresentados nesta terça-feira (25).


Fonte: Revista Fórum
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário