NÃO MERECE 

Antes da divulgação de áudios de suas conversas com o presidente, Bebianno vinha afirmando que não dispararia contra o presidente. À coluna, disse que o Brasil “não merece isso”.


TAMPA ABERTA 

A necessidade do que se chama de “plano B” a Jair Bolsonaro começou a circular sem rodeios entre alguns parlamentares, inclusive do PSL, o partido do presidente.

MONTANHA RUSSA 

Nas conversas, discute-se a possibilidade de o presidente não conseguir tocar o governo até o final, dada a instabilidade de sua personalidade, escancarada na crise da demissão de Gustavo Bebianno.

TAL E QUAL 

Bolsonaro, nos diálogos de líderes parlamentares, é comparado ao ex-presidente Fernando Collor de Mello, que sofreu impeachment em 1992 depois de uma eleição consagradora.

LIVRE PENSAR 

ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, estudou fazer delação premiada no começo do ano passado, quando foi preso pela primeira vez.

REI MORTO 

Na época, advogados e amigos o aconselharam a colaborar com a Justiça. O argumento era o de que o PSDB estava perdendo poder, o que o tornaria mais vulnerável a medidas coercitivas da polícia e da Justiça.

NADA A DECLARAR 

Souza, na época, negou publicamente a possibilidade. À coluna, afirmou que ficou “dez dias em uma solitária” e que nem assim pensou em colaboração. “Quem não cometeu crimes não tem o que delatar”, disse.

DE LONGE 

As condições dele na prisão, agora, seriam piores pois Souza deve ficar em Curitiba, longe da família. Um acordo, no entanto, seria feito em condições mais duras.