quinta-feira, 31 de maio de 2018

E A BAGUNÇA CONTINUA: Gilmar manda soltar Paulo Preto de novo

O ministro Gilmar Mendes, do STF, determinou há pouco a soltura do ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, apontado como arrecadador de propina para campanhas do PSDB paulista; o operador tucano havia sido preso pela manhã, para “assegurar a instrução criminal” do processo em que ele é acusado pelo desvio de recursos de R$ 7,7 milhões da Dersa, entre 2009 e 2011, nos governos José Serra e Geraldo Alckmin; ele havia sido preso no dia 6 de abril, mas liberado cerca de um mês depois por Gilmar Mendes
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, determinou no início da noite desta quarta-feira, 30, a liberdade do ex-diretor da Dersa (empresa responsável por obras viárias paulistas) Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto.
Apontado como operador de propinas e de contribuições ilícitas para o PSDB durante o governo de José Serra (2007-2010), Paulo Preto havia sido preso nesta manhã, acusado de descumprir medidas judiciais. A decisão judicial que mandou prender Souza afirmava que sua volta à cadeia era necessária para “assegurar a instrução criminal” do processo em que ele é acusado pelo desvio de recursos de R$ 7,7 milhões da Dersa, entre 2009 e 2011 (governos José Serra e Geraldo Alckmin).

0 comentários:

Postar um comentário