sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Dallagnol perdeu o prêmio e ainda teve que ouvir Glenn Greenwald fazer o discurso principal

Definitivamente, não foi uma boa noite para os procuradores da república que foram a Vancouver, Canadá, na expectativa de receber da University of British Columbia o prêmio Allard, que reconhece “esforços no combate à corrupção e na promoção dos direitos humanos”. Além de perder para uma jornalista do Azerbaijão, a equipe de Deltan Dallagnol teve de ouvir como discurso principal da noite a fala do jornalista Glenn Greenwald, que considera legítimo o questionamento de que a Lava Jato persegue Lula e trata casos de corrupção com dois pesos e duas medidas. Greenwald já disse que o impeachment de Dilma foi golpe. A diferença básica entre os dois casos pode ser visto nas consequências da investigação. No Azerbaijão, a jornalista denunciou o presidente e foi presa. Aqui, a investigação dos procuradores ajudou a colocar no poder os políticos mais corruptos da história do pais, flagrado com malas de dinheiro de propina carregadas por prepostos. Dá para imaginar a cara dos super heróis de Curitiba enquanto Greenwald, um jornalista identificado com a esquerda, discursava.
.x.x.x.PS: A pergunta que não quer calar: Quem pagou a viagem dos procuradores ao Canadá? Além da passagem, houve diárias. Como havia vários deles lá, como se pode ver nas fotos, é possível que o Estado brasileiro tenha gastado mais para mandar os procuradores ao Canadá do que o cheque de 10.000 dólares (por menção honrosa) que a Lava Jato recebeu e vai entregar, como manda lei, para ações que promovam o direitos humanos.
Dallagnol e colegas.

0 comentários:

Postar um comentário