terça-feira, 23 de junho de 2020

Advogado de Flávio Bolsonaro suspeito de ocultar provas no esquema de “rachadinhas” é exonerado

O MP afirma na denúncia que Botto Maia "extrapolou todos os limites do exercício da advocacia"

O advogado Luís Gustavo Botto Maia, um dos alvos da Operação Anjo, foi exonerado do cargo que ocupava na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), nesta terça-feira (23). A decisão está publicada no Diário Oficial.
De acordo com a investigação do Ministério Público Federal (MPF), Maia, que trabalhava com o então deputado estadual e atual senador, Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), teria destruído provas e tentou enganar os promotores e a Justiça no esquema da “rachadinha”.

O esquema envolve o senador e o ex-assessor Fabrício Queiroz, preso na última quinta-feira (18), em Atibaia (SP).
Luís Gustavo estava nomeado no gabinete do deputado estadual Renato Zeca (sem partido).
O MP afirma na denúncia que Botto Maia “extrapolou todos os limites do exercício da advocacia”. O advogado chegou a determinar adulteração de provas por uma ex-assessora do gabinete que assinou dois anos de folhas de ponto em branco referentes ao seu trabalho na Alerj, entre 2017 e 2019.
Queiroz e Botto Maia também teriam orientado funcionários a não comparecerem quando convocados pelo Ministério Público para prestarem depoimentos.
Com informações do Estado de Minas
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário