terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Secretário de Comunicação de Bolsonaro será investigado por corrupção

O procurador Frederick Lustosa, do Ministério Público Federal, pediu à Polícia Federal a abertura de um inquérito nesta segunda-feira (28) para investigar o esquema de corrupção comandado por Fábio Wajngarten na Secom


O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Polícia Federal a abertura de um inquérito criminal para investigar o esquema de corrupção comandado pelo Secretário de Comunicação de Jair Bolsonaro, Fábio Wajngarten, que recebe dinheiro por sua empresa, a FW Comunicação, de clientes que são privilegiados com verbas publicitárias recebidas do governo.
Segundo reportagem da Folha de S.Paulo na edição desta terça-feira (28), a investigação vai apurar as denúncias de corrupção passiva, peculato (desvio de recursos públicos feito por funcionário público, para proveito pessoal ou alheio) e advocacia administrativa (patrocínio de interesses privados na administração pública, valendo-se da condição de servidor). Caso seja condenado, Wajngarten por pegar entre 2 a 12 anos de prisão.
Mesmo após assumir a Secom, em abril, Wajngarten segue sendo sócio maioritário da sua empresa, FW Comunicação, que tem na sua carteira de clientes empresas de comunicação como a TV Record e a Bandeirantes, que estão sendo privilegiadas na distribuição de verbas de publicidade do governo, que são liberadas pelo próprio secretário.


O pedido de investigação foi assinado nesta segunda-feira (27) pelo procurador Frederick Lustosa, da Procuradoria da República no Distrito Federal, após o órgão receber representações de diversos cidadãos. O caso correrá em sigilo.


Fonte: Revista Fórum




Reações:

0 comentários:

Postar um comentário