segunda-feira, 25 de março de 2019

Paulo Guedes e militares alertam Bolsonaro: governo corre risco de desandar

O presidente Jair Bolsonaro tem encontro marcado hoje pela manhã com seu alto comando no Planalto: os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Augusto Heleno (GSI), Santos Cruz (Secretaria de Governo) e Paulo Guedes (Economia) Ouvirá do ministro Onyx uma avaliação das dificuldades para a aprovação da reforma da Previdência no Congresso e das resistências, principalmente entre os aliados do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Mas Paulo Guedes, segundo seus assessores, pretende insistir com o presidente que aprovação da reforma da Previdência não é uma bobagem inventada pelos economistas. Segundo Guedes, dela depende o futuro do governo. E não haverá reforma sem aprovação do Congresso.

Será, na prática, um recado (e uma reafirmação) de que ele próprio, Paulo Guedes, não teria mais como permanecer no governo se a reforma não andar. Mas que ele está disposto a pacificar os ânimos entre Maia e o Planalto. Cabe a Bolsonaro ajudar a pôr um fim na encrenca. Já Santos Cruz e o general Heleno trarão o recado dos militares: não é aceitável que alguém como Olavo de Carvalho xingue publicamente não só o general vice-presidente, mas toda a categoria. Esse clima também não ajuda à reforma. E não cabe ao governo, em meio a esses xingamentos, prestigiar o guru dos filhos do presidente.

Santos Cruz mostrou publicamente seu descontentamento na entrevista publicada hoje pela Folha, em que chamou Olavo de Carvalho de desequilibrado. Anote-se: o general é um amigo antigo de Bolsonaro. Há quase quarenta anos. É das poucas pessoas no governo capazes de repreender o presidente nas conversas pessoais.

Leia mais no UOL
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário