GOLPE DURO PARA BURGUESADA: Lula foi capa do maior jornal francês e Papa Francisco se manifestou

A carta de Lula, direto da prisão, foi capa de destaque do mais importante jornal francês, o Le Monde.

Rússia e China: pesadelo dos EUA se torna realidade

A nova política dos EUA em relação à China está levando à aproximação entre Moscou e Pequim, comenta o analista russo Timofei Bordachev.

URGENTE: Lava Jato pode ter fraudado documentos para incriminar Lula; CONFIRA CÓPIAS!

Surgem novos documentos que podem comprovar o que declarou o deputado Sibá em um encontro realizado no último sábado (5).

Lula preso sem provas, Paulo Preto ''com cem milhões" solto. Justiça?

Se alguém do campo progressista ainda tinha dúvidas sobre o posicionamento político do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foram relembrados nesta sexta-feira, 11.

Engenheiros da Petrobrás dizem que política de preços de combustíveis beneficia grupos estrangeiros

A AEPET reafirma o que foi expresso no Editorial “Política de preços de Temer e Parente é ‘America First!’ “, de dezembro de 2017.

terça-feira, 26 de maio de 2020

Governo vai gastar R$ 44 mil para Mourão se exercitar

Em tempos de isolamento social por causa do novo coronavírus, o governo pretende gastar R$ 44 mil para o vice-presidente Hamilton Mourão manter os exercícios em dia. Uma licitação foi aberta para adquirir uma esteira ergométrica de última geração para o Palácio do Jaburu, onde moram o vice e a sua mulher, Paula Mourão.
O modelo procurado vem com programas pré-configurados de exercício físico, tela touch screen de alta definição, internet, TV e “cursos interativos”. O valor total é estimado em R$


O edital foi aberto nesta segunda-feira, 25, pela Vice-Presidência. A justificativa para a procura é que o Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente, não tem aparelho “minimamente adequado” e que atenda aos “princípios da ergonomia e biomecânica”, para prática de exercícios físicos.
Além dos moradores, o governo afirma que a guarda do palácio deve usar o equipamento. “Inclusive com simulação de situações reais onde o caminhar e as corridas são feitas com os uniformes e equipamentos vinculados, visando manter a adequada aptidão física para desempenho de suas atividades”, segundo o edital.
A Vice-Presidência ainda argumenta que a “rotina institucional” força Mourão a realizar exercícios fora do expediente, muito cedo ou muito tarde. “Incapacitando-o de fazê-lo fora de sua residência, sem comprometer e preservando a intimidade, integridade, segurança e lazer”, diz ao justificar a compra.


Mourão é visto com frequência correndo ou pedalando no caminho que liga o Jaburu ao Palácio da Alvorada, onde vive o presidente Jair Bolsonaro. No fim de 2019, quando assumiu interinamente a Presidência durante uma viagem de Bolsonaro, uma entrevista do militar virou meme ao ser identificado como “presidente em exercício”. A ironia era Mourão de fato estar “no exercício” do cargo, mas concedendo entrevista sem camisa, suado, com boné e óculos escuro após jogar vôlei com colegas em Brasília.
Procurada, a Vice-Presidência não se manifestou.

DENÚNCIA: Zambelli tem informações privilegiadas sobre operações da PF

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), uma das principais aliadas de Jair Bolsonaro no Congresso Nacional, disse que a Polícia Federal irá deflagrar operações para investigar irregularidades cometidas por governadores durante a pandemia. A informação foi revelada em entrevista a uma rádio do Rio Grande do Sul nesta segunda-feira (25).

Para o vice-líder do PCdoB na Câmara, Márcio Jerry (MA), a fala da deputada é mais uma prova da tentativa de interferência do governo na PF.


“Notem a gravidade: deputada Carla Zambelli anuncia operações da Polícia Federal contra governadores. Dá até o nome da operação! Um absurdo o governo de Jair Bolsonaro insistir na tentativa de transformar uma instituição do estado brasileiro em polícia política para perseguir adversários”, afirmou Jerry.

Ao programa Timeline, da Rádio Gaúcha, Zambelli disse: “A gente já teve algumas operações da Polícia Federal que estavam ali, na agulha, para sair, mas não saíam. E a gente deve ter, nos próximos meses, o que a gente vai chamar, talvez, de ‘Covidão’ ou de... não sei qual vai ser o nome que eles vão dar... mas já tem alguns governadores sendo investigados pela Polícia Federal”.



Procurada pelo Congresso em Foco, Zambelli afirmou que obteve informações da própria imprensa e que esse nome é o apelido dado "pelas pessoas, é como o Petrolão, Mensalão e esse é o Covidão".

A deputada explicou que a fala sobre uma futura operação foi dita no sentido de acreditar que isso deva acontecer. "Eu tenho uma crença de que vários governadores e prefeitos são corruptos. É uma questão de crença, não é uma questão de informação privilegiada. Eu luto contra a corrupção há muito tempo e eu sei como esse povo funciona. É óbvio que a gente vai ter alguma coisa nos próximos meses, porque é muito dinheiro rodando, quanto mais dinheiro rodando, maior a probabilidade de corrupção", disse Zambelli.soas, é como o Petrolão, Mensalão e esse é o Covidão".


A deputada explicou que a fala sobre uma futura operação foi dita no sentido de acreditar que isso deva acontecer. "Eu tenho uma crença de que vários governadores e prefeitos são corruptos. É uma questão de crença, não é uma questão de informação privilegiada. Eu luto contra a corrupção há muito tempo e eu sei como esse povo funciona. É óbvio que a gente vai ter alguma coisa nos próximos meses, porque é muito dinheiro rodando, quanto mais dinheiro rodando, maior a probabilidade de corrupção", disse Zambelli.

Questionada sobre as afirmações de Márcio Jerry, a deputada respondeu: "Quem é essa pessoa? Porque eu não sei quem é. Nunca ouvi falar sobre essa pessoa".


Conforme Zambelli afirmou, já faz mais de um mês que o nome "Covidão" tem sido mencionado na imprensa para se referir a operações da Polícia Federal sobre superfaturamentos nas compras de itens de combate ao covid-19.

Nesta segunda, por exemplo, a PF, o Ministério Público Federal (MPF) e a Controladoria-Geral da União (CGU), deflagraram a Operação Dispnéia, que investiga supostos desvios de recursos para a compra de respiradores em Fortaleza. O site Gazeta Brasil chamou a operação de "Covidão" em seu título.


De olho na PF

A PF foi colocada no centro do debate nacional após o ex-ministro Sergio Moro acusar o presidente de tentar interferir na instituição para proteger aliados e os filhos. Moro renunciou ao cargo de chefe da Justiça depois de Bolsonaro tentar nomear o atual diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, que é amigo da família, para o posto de diretor-geral da PF.

Impedido pela Justiça, Ramagem indicou Rolando de Souza para o cargo, que assim que assumiu, trocou o superintendente da Polícia Federal do Rio de Janeiro, conforme Moro vinha denunciando que era a vontade do presidente.


No vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril, Bolsonaro fala em trocar "a segurança" do Rio, antes que "fodam" sua família e amigos. O presidente afirma que estava tratando da segurança dos seus filhos, que é feita pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), porém, no vídeo é possível perceber que ao falar isso, ele olha para Sergio Moro, então ministro da Justiça. Outro ponto sem resposta é que o GSI e nenhum outro órgão governamental cuida, ou não deveria cuidar, da segurança dos amigos do presidente.


Fonte: Congresso em foco

Barroso assume presidência do TSE em meio a pedidos de cassação da chapa Bolsonaro-Mourão

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, assumiu a presidência do Tribunal Superior Eleitoral nesta segunda-feira (25) e fez um duro discurso exaltando o papel das instituições.

Barroso dedicou uma boa parte da sua fala para o desafio da Justiça Eleitoral em combater as fake news. “Uma das grandes preocupações da Justiça Eleitoral são as chamadas fake news ou, mais apropriadamente, as campanhas de desinformação, difamação e de ódio”, declarou.


O ministro exalta o papel da internet no pluralismo das ideias, mas destaca que “a atuação pervertida de milícias digitais” dissemina o ódio e a radicalização. “São terroristas virtuais que utilizam como tática a violência moral, em lugar de participarem do debate de ideias de maneira limpa e construtiva”, afirmou.

Há pelo menos duas ações em tramitação no TSE que pedem a cassação da chapa de Bolsonaro em razão de campanha de fake news promovida por empresários ligados ao então candidato. Com a apresentação de diversos pedidos de impeachment contra o presidente na Câmara dos Deputados e novos pedidos de cassação apresentados à Corte, a pressão sobre o Tribunal aumentou.


Sem citar os ataques de apoiadores do presidente – que tem pregado intervenção militar -, a ameaça do ministro general Augusto Heleno, do GSI, e à fala do ministro Abraham Weitraub, da Educação, considerada criminosa, Barroso pregou respeito à Constituição e ao STF.

“Hoje, vivemos sob o reinado da Constituição, cujo intérprete final é o Supremo Tribunal Federal. Como qualquer instituição em uma democracia, o Supremo está sujeito à crítica pública e deve estar aberto ao sentimento da sociedade. Cabe lembrar, porém, que o ataque destrutivo às instituições, a pretexto de salvá-las, depurá-las ou expurgá-las, já nos trouxe duas longas ditaduras na República”. declarou.


Fonte: Revista Fórum

PF realiza operação no Palácio Laranjeiras , residência oficial de Witzel

A Polícia Federal faz uma operação na manhã desta terça-feira, dia 26, no Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governador Wilson Witzel. O órgão ainda não se pronunciou sobre os motivos da ação.

A equipe da PF veio de Brasília (DF) e chegou ao Aeroporto Internacional do Rio pouco depois de 5h30m. Há agentes também atuando no Leblon, na Zona Sul do Rio, e no Grajaú, na Zona Norte, onde está localizada a sua antiga residência (como pesso física).

Mais informações em instantes.


Fonte: O Globo