quinta-feira, 29 de julho de 2021

Não é um governo. É um hospício: Bolsonaro cita denúncia de vídeo de astrólogo que faz acupuntura em árvores

 


Folha de S.Paulo - Presidente usou conteúdo com Alexandre Chut, já rebatido por especialistas, como indício de suposta fraude em eleição de 2014


O presidente Jair Bolsonaro citou na live desta quinta-feira (29) vídeo de denúncias sobre suposta fraude na eleição de 2014 protagonizado por Alexandre Chut, astrólogo que já disse fazer acupuntura em árvores.

Chut, que se apresenta como acupunturista, psicólogo e ambientalista, aparece em vídeo de 2018 de Naomi Yamaguchi, suplente de deputada federal e irmã de Nise Yamaguchi, médica defensora da cloroquina.

Embora faça denúncia sobre contagem de votos nas eleições no vídeo, Chut se dedica a atividades pouco relacionadas com a ciência política ou a estatística.



Ele ganhou notoriedade em 2012 ao declarar que fazia acupuntura em árvores—espetava pregos (em vez de agulhas) nas junções dos troncos com os galhos. “Os vegetais que recebem a acupuntura apresentam crescimento mais acentuado, folhas mais robustas e raízes mais ramificadas”, afirmou ele à revista Época.




Em seu site, ele lista suas “previsões concretizadas com Matemática Celeste”, entre elas as “Mobilizações da População Brasileira (2013)”, saúde de Pelé, Milton Nascimento, Fidel Castro, Lula, Edson Celulari e José Serra, atentado em Boston, em 2013, e a data da prisão de Eduardo Cunha, em 2016.

O nome do vídeo com a participação de Chut é "Prova das fraudes nas urnas! Exclusivo e Urgente", e foi postado em 2018 na página de Naomi Yamaguchi, então eleita como suplente no cargo de deputada federal pelo PSL, partido pelo qual Bolsonaro concorria à Presidência.

Ela aparece conversando com um homem, não mostrado nas imagens, que explica o que seriam fortes indícios de fraude no pleito de 2014. O homem entrevistado por Yamaguchi diz ter encontrado um padrão nos dados divulgados minuto a minuto e que indicariam que houve fraude, pois tal padrão só poderia ser possível por meio do uso de um algoritmo. A veracidade das alegações já foi desmentida por diversos especialistas.

Depois da cena de Naomi e do homem não identificado, Chut aparece no vídeo se apresentando. “Meu nome é Alexandre Chut. Algumas pesquisas mostravam uma realidade onde (sic) o Aécio estava disparadamente na frente da Dilma, e aí essas pesquisas não aconteceram”, diz.

Reprodução de vídeo do YouTube sobre suposta fraude eleitoral em 2014, com astrólogo Alexandre Chut.
Reprodução de vídeo do YouTube sobre suposta fraude eleitoral em 2014, com astrólogo Alexandre Chut. - Reprodução YouTube

“Eu acompanhei de ponta a ponta a eleição do Aécio e da Dilma...eu estava, na hora do final junto com o pessoal do PSDB”, diz ele. “Foi um choque, e, de observar uma curva no início ascendente depois descendente, devagarzinho, até que ele perde numa forma aparentemente de empate.”

O vídeo então volta para Naomi e o entrevistado cuja imagem não é mostrada, que diz: “Isso frustrou o Brasil todo, inclusive a mim. E naquela hora eu tive certeza de que as urnas foram fraudadas.”

Não fica claro se Chut é a mesma pessoa que dá a entrevista a Naomi Yamaguchi. Procurado, ele não respondeu a mensagens e telefonemas.

Chut é bastante ativo na comunidade judaica, visto como um homem simpático e um pouco falastrão por algumas pessoas que o conhecem.

Psicólogo formado pela Universidade São Marcos, ele recebeu homenagens pelo trabalho em educação ambiental e afirma ter plantado mais de 2 milhões de árvores no mundo. Entre as habilidades que ele lista em seu site há ainda massagem ayurvédica, shiatsu, especialização em Tai Chi Chuan e Krav Magá, além de formação como doutor em acupuntura na Federação Mundial de Medicina Chinesa, na China.

Naomi diz que a pessoa que ela entrevistou trocou emails com o deputado Aécio Neves (PSDB-MG), Armínio Fraga e com o senador Antonio Anastasia (PSD-MG) na época da eleição. Procurados, Anastasia e Aécio afirmaram não se lembrar do ocorrido, porque receberam inúmeras mensagens na época.




0 comentários:

Postar um comentário