terça-feira, 27 de julho de 2021

Em depoimento sobre suposto atentado, Joice cita Heleno e diz não confiar na PF por causa de interferências de Bolsonaro

 


 Brasil 247 -A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) que prestou depoimento à Polícia Civil do Distrito Federal nesta terça-feira (26), disse a jornalistas ter encontrado um objeto em sua casa que pode ter relação com o suposto atentado que teria sofrido e que a deixou com diversas fraturas pelo corpo. Ela ainda citou o ministro-chefe do GSI, general Augusto Heleno, e levantou suspeitas sobre possíveis interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal.

O objeto encontrado, segundo a parlamentar, não foi utilizado para atacá-la, mas comprova que alguém fora de seu núcleo de convívio esteve em seu apartamento. “É um objeto que não pertence a ninguém, a nenhum dos meus funcionários, nem a mim nem a meu marido. Não é um objeto que estava sujo de sangue nem marcas de sangue nem nada disso. É simplesmente um objeto que não pertence a ninguém da minha casa".

A deputada ainda pediu a realização de uma perícia em seu carro para verificar a existência de algum tipo de aparelho de rastreamento. “Eu disse a vocês logo depois no meu depoimento na Depol [Polícia Legislativa] de que eu recebi informação, isso está escrito no meu telefone, eu mostrei à polícia, de que vazaria uma informação do GSI [Gabinete de Segurança Institucional] de que eu teria batido o meu carro e teria me machucado. Os médicos já descartaram que os ferimentos que eu tenho são compatíveis com uma eventual batida”.



Outro pedido da parlamentar foi a coleta de todas as imagens de segurança do final de semana de 17 e 18 de julho para verificar o estado de seu carro. “Toda essa narrativa está circulando nos grupos governistas”.

Para Joice, o autor do suposto atentado é alguém que a "odeia muito". "Eu já sofri muitas ameaças para parar, ameaças verbais, de estupro. Talvez tenha sido um recado mais duro, tipo 'somos capazes de ir além'. O recado foi entendido, mas eu não vou fazer o que eles querem. Eu não vou me acovardar. A única coisa que eu descarto é uma tentativa de assalto, porque eu tinha um computador que vale quase 30 mil reais, eu estava com os brincos, anéis e bolsa com cartão de crédito e dinheiro".




Questionada sobre não ter procurado a Polícia Federal para tratar do caso, a deputada afirmou não confiar na instituição. “Eu não confio no governo e na interferência que ele é capaz de fazer, como já fez, na Polícia Federal. Todo mundo sabe que eu sou desafeto do Palácio do Planalto. Há uma história muito cabulosa que vazou do GSI. Então para esse governo fazer qualquer tipo de manipulação, isso pode ser feito num estalar de dedos. Então eu confio na Polícia Civil. Polícia Civil do DF, Polícia Civil de São Paulo, Depol e Ministério Público Federal...já é muita gente investigando".

Ela ainda afirmou que pedirá que Augusto Heleno seja ouvido na investigação. "O general Heleno foi ao Twitter inclusive debochar da situação. Então deixe que ele se explique. Vou chamar a pessoa que passou essa informação de que o GSI estaria montando essa farsa, ela vai ser ouvida, sob sigilo. E vamos chamar o general Heleno para que ele possa se explicar".





0 comentários:

Postar um comentário