segunda-feira, 18 de maio de 2020

Reinaldo Azevedo: Acusação de Marinho é mais grave do que a de Moro

Da coluna de Reinaldo Azevedo no UOL:

A Polícia Federal e a Procuradoria-Geral da República se manifestaram sobre a acusação feita por Paulo Marinho.(…) A PF não deixa claro o tipo de investigação que decidiu abrir: se inquérito — pode fazê-lo por iniciativa própria, sem ser demandada pelo Ministério Público — ou uma sindicância interna. Se de fato já fez alguma coisa, deve ter optado pelo segundo caminho, à espera da decisão da Procuradoria-Geral da República.
Quanto à PGR, dizer o quê? Com a mesma celeridade com que Augusto Aras anunciou que pediria autorização ao STF para abertura de inquérito — depois que Sergio Moro fez seu pronunciamento —, pode agora anunciar que pedirá para que as informações de Marinho sejam agregadas ao dito-cujo, dando ensejo a novas diligências.
Afinal, as afirmações feitas pelo empresário são muito mais graves do que as feitas por Moro. Elas acusam não só um conluio entre um braço da PF e um candidato, que se elegeu presidente, como apontam para uma interferência indevida, ainda que indireta, no próprio processo eleitoral.

(...)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário