sábado, 4 de abril de 2020

Registros e falta de autópsia mostram que há mais mortes por coronavírus do que indicam os números

Uma resolução publicada no dia 20 de março determinou que não pode ser feita autópsia para confirmação da morte em casos suspeitos de coronavírus devido ao risco de contaminação por meio dos corpos. Segundo o governo, as determinações são da própria OMS.


As mortes sem diagnóstico exato e os casos suspeitos que não foram testados em vida devem ter material nasal e orofaríngeo coletado em até 24 horas e na autópsia deve constar a espera pelo exame. Os demais casos devem ter a declaração de óbito preenchida pelo médico que assistiu o paciente ou que constatou o óbito. Se as informações do prontuário não forem suficientes para cravar a causa, é feito um questionário verbal com a família.


Nesses casos em que a autópsia é feita por questionário verbal, mesmo que o resultado se aproxime de morte por coronavírus, o óbito não entrará na conta oficial, por se tratar de um caso não testado, de acordo com Adiwardana. "Senão você começa a ter um dado muito falseado e aí não pode confiar no seu dado depois."



Fonte: UOl
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário