quarta-feira, 4 de março de 2020

🎥Youtuber diz que sente vergonha por ter pregado voto em Bolsonaro

Um Youtuber diz que sente vergonha de ter combatido as cotas para negros e ter pregado voto em Jair Bolsonaro nas eleições de 2018. Ele diz que está sendo ameaçado de morte por agora criticar o governo Bolsonaro e é alvo de racismo.


Um Youtuber negro, que era apoiador de Jair Bolsonaro nas eleições de 2018, se diz hoje arrependido de ter pedido voto para Bolsonaro.  E alega hoje sentir vergonha de ter lutado contra as cotas raciais.
Abaixo o Instagram do Youtuber com apoio a Bolsonaro:
O youtuber e blogueiro Hícaro Teixeira foi um dos muitos youtubers e digital influencers que apoiaram Jair Bolsonaro contra Haddad.  Hoje ele é alvo até de ameaças de morte por parte dos aliados e milícias virtuais bolsonaristas.  E revela ainda o racismo que foi abatido sobre ele após passar a criticar Bolsonaro:


“Fui chamado de macaco depois que passei a criticar Bolsonaro”, revelou ao site BuzzFeed News.
No seu canal de Youtube, muitos vídeos pró-Bolsonaro, hoje o conteúdo mudou completamente e ele revela que se arrependeu :“Fiquei com vergonha e apaguei muita coisa”, admitiu.
“Também percebi que a juventude que foi levada por Bolsonaro se radicalizou durante a eleição, mas somos, na verdade, progressistas, queremos nossas liberdades e ter confiança na democracia”, disse ainda.
O blogueiro e Youtuber tem 27 anos, vive com os pais e não tem emprego fixo, sua renda principal vem do seu canal de Youtube.  Ele afirma que sua renda hoje é menor que um salário mínimo, no entanto as vezes consegue um pouco mais quando possui mais visualizações.


Um dos vídeos em que o Youtuber critica Bolsonaro por sua submissão a Trump:
O Youtuber perdeu muitos seguidores bolsonaristas, mas percebeu que ao mesmo tempo passou a ganhar seguidores progressistas.
Hoje com uma linha diferente da de 2018 na campanha eleitoral, ele critica o governo Bolsonaro e revela até ameaças de morte contra ele.
Veja as imagens da ameaça de morte contra ele no Buzzfeed News
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário