sábado, 22 de fevereiro de 2020

Violência contra mulheres aumenta e provoca 1.310 mortes no primeiro ano de governo Bolsonaro

Dados oficiais, reunidos pela Folha de S.Paulo, revelam que de três a quatro mulheres são assassinadas em média a cada dia no Brasil, na maioria dos casos por companheiros e ex-companheiros


Números de violência contra mulher nos 27 estados, reunidos em um levantamento feito pelos jornalistas Ranier Bragon e Camila Mattoso na edição deste sábado (22) da Folha de S.Paulo, revela um aumento nos casos de feminicídio no primeiro ano de governo Jair Bolsonaro, contrariando as estatísticas de queda da criminalidade divulgadas pelo ministro da Justiça, Sergio Moro.

A estatística mostra que houve um crescimento de 7,2% nos casos de feminicídio, resultando no assassinato de 1.310 mulheres – em 2018 foram 1.222 casos. De acordo com os registros oficiais, de três a quatro mulheres são assassinadas em média a cada dia no Brasil, na maioria dos casos por companheiros e ex-companheiros.
Nos estados de São Paulo, Santa Catarina, Alagoas, Bahia, Roraima, Amazonas e Amapá esse aumento foi de mais de 30%.
São Paulo (182), Minas Gerais (136), Bahia (101) e Rio Grande do Sul (100) são as unidades da federação onde foram registrados o maior número de assassinatos de mulhres.

De acordo com dados consolidados pelo Ministério da Justiça, que não trata ainda o feminicídio de forma separada, de janeiro a setembro de 2019 houve redução de 22% nos homicídios dolosos e latrocínios, tendência de queda já verificada desde 2018.

Fonte: Revista Fórum
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário