domingo, 9 de fevereiro de 2020

“A voz de seu mestre?” – The Guardian ridiculariza Bolsonaro publicar vídeo assistindo Trump

Há, no entanto, quem considere método: “Ouvir Trump envia uma forte mensagem simbólica à base de Bolsonaro”




O jornal britânico The Guardian ridicularizou, em sua edição deste sábado (8), o fato do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) publicar um vídeo de si mesmo assistindo ao discurso do presidente americano Donald Trump.
De acordo com o jornal, “mais de 4.000 milhas ao Sul, no coração do próprio pântano político do Brasil, Bolsonaro se sentou para assistir – filmando-se vendo o discurso de Trump durante uma hora e oferecendo comentários ocasionais para a câmera, saudando seu herói norte-americano ou repreendendo inimigos na política e na imprensa”.


O jornal cita que críticos, tanto de direita quanto de esquerda “ridicularizaram as transmissões Trumpianas de Bolsonaro – que duraram 73 minutos – como um desperdício de tempo presidencial”.
Veja trechos da reportagem abaixo:
“É lamentável”, reclamou Lobão, um astro do rock brasileiro que votou em Bolsonaro em 2018, mas desde então se tornou um de seus críticos mais severos.
Lobão disse estar perplexo com a “incontinência amorosa” de Bolsonaro em relação a Trump. Como, imaginou o músico, “o presidente do Brasil pode ser tão capacho de um líder americano” e ao mesmo tempo ser um nacionalista de linha dura?


O senador Humberto Costa (PT-PE) alertou que os brasileiros pagariam um preço alto pela adoração de Bolsonaro. “Não basta ser um capacho. É preciso mostrar-se um capacho ”, twittou Costa.
Mas Brian Winter, editor-chefe do Americas Quarterly, viu método no que muitos chamam de reverência.
“Na verdade, acho que são mensagens políticas sérias e eficazes. Ouvir Trump envia uma forte mensagem simbólica à base de Bolsonaro de que ele também está afastando o país do socialismo.


“Muitos brasileiros olham para isso e veem traição à soberania nacional. Mas pelo menos um terço do país analisa e entende o que ele quer dizer e está muito feliz com isso ”, acrescentou Winter.
“Na mente dos seguidores de Bolsonaro, os EUA significam capitalismo, prosperidade e segurança pública – a capacidade de ter uma arma, uma economia em crescimento. Eu acho que é realmente eficaz com a base dele.”

Fonte: Revista Fórum
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário