domingo, 5 de janeiro de 2020

Bolsonaro trai seus apoiadores e volta a defender juiz de garantias

"O juiz de garantias, apesar das críticas que recebeu, não é nenhum ataque à Lava Jato. Vai demorar anos para ser colocado em prática. Já existe no Brasil, que são as centrais de inquérito. A própria Lava Jato não teve só o Moro que trabalhou. [...] Foram vários outros juízes do lado dele”, disse ele



Sputinik – O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado, em uma live no Facebook, que o instrumento do juiz de garantia não representa um ataque à Operação Lava Jato.
A figura do juiz de garantia está prevista no projeto anticrime, aprovado pelo Congresso Nacional e sancionado pelo presidente na semana passada, informou Agência Brasil.


A nova lei estabelece que o juiz responsável pela condução do processo (juiz de garantias) não vai proferir a sentença do caso.
"O juiz de garantias, apesar das críticas que recebeu, não é nenhum ataque à Lava Jato. Vai demorar anos para ser colocado em prática. Já existe no Brasil, que são as centrais de inquérito. A própria Lava Jato não teve só o Moro que trabalhou. [...] Foram vários outros juízes do lado dele”, disse Bolsonaro, citado pela agência.

Mais polêmica

O Fundo Eleitoral é um tema que tem gerado críticas nas redes sociais. Segundo Bolsonaro, se o Parlamento tivesse aprovado um fundo de R$ 3,8 bilhões no Orçamento de 2020 ele teria como vetar, pois feriria o interesse público.
Em dezembro, o Congresso aprovou o Orçamento para 2020 com a previsão de R$ 2 bilhões para o Fundo Eleitoral. O texto seguiu para análise do presidente da República.
"Eu te pergunto posso vetar o orçamento da Educação? Não posso, porque está na lei, a mesma coisa da Saúde e a mesma coisa do Fundão, é lei de 2017. Se eu vetar incorre em crime de responsabilidade. Estou atentando contra a lei, corro o risco de impeachment. E qualquer um do povo pode entrar com o pedido de impeachment", declarou o presidente.


Fonte: Revista Fórum
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário