GOLPE DURO PARA BURGUESADA: Lula foi capa do maior jornal francês e Papa Francisco se manifestou

A carta de Lula, direto da prisão, foi capa de destaque do mais importante jornal francês, o Le Monde.

Rússia e China: pesadelo dos EUA se torna realidade

A nova política dos EUA em relação à China está levando à aproximação entre Moscou e Pequim, comenta o analista russo Timofei Bordachev.

URGENTE: Lava Jato pode ter fraudado documentos para incriminar Lula; CONFIRA CÓPIAS!

Surgem novos documentos que podem comprovar o que declarou o deputado Sibá em um encontro realizado no último sábado (5).

Lula preso sem provas, Paulo Preto ''com cem milhões" solto. Justiça?

Se alguém do campo progressista ainda tinha dúvidas sobre o posicionamento político do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foram relembrados nesta sexta-feira, 11.

Engenheiros da Petrobrás dizem que política de preços de combustíveis beneficia grupos estrangeiros

A AEPET reafirma o que foi expresso no Editorial “Política de preços de Temer e Parente é ‘America First!’ “, de dezembro de 2017.

sábado, 28 de março de 2020

Estudo usado por Trump e Boris Johnson diz que Brasil terá 1 milhão de mortes se fizer o que Bolsonaro manda

Um estudo liderado pelo Imperial College de Londres faz uma estimativa de como os diferentes países do mundo seriam afetados pela pandemia do coronavírus Sars-CoV-2. Ao analisar o impacto em 202 países, eles concluíram que, se os governos adotarem medidas rigorosas cedo, como testes de diagnóstico, isolamento de doentes e distanciamento social para frear a disseminação do vírus, 38,6 milhões vidas podem ser salvas. Isso representa uma redução de mortalidade de cerca de 95%.



O Brasil está entre os países citados. Em caso de nenhuma estratégia de isolamento e de enfrentamento da pandemia, o Brasil poderia ter mais de 1,15 milhão de mortes devido à Covid-19. Com estratégias de supressão rígidas para toda a população, que são aquelas que buscam bloquear a circulação do vírus, o estudo diz que o número de mortes pode ser reduzido para 44,2 mil.



Foi o Imperial College o instituto responsável por outro estudo que virou um marco na pandemia: um modelo matemático deu um panorama extremamente sombrio de como a doença ia se propagar pelo país, como ia impactar o sistema público de saúde (o SUS do Reino Unido, chamado de NHS) e que até 250 mil pessoas poderiam morrer. Depois do estudo, a estratégia do governo britânico mudou, abandonando a "imunização de rebanho".

Para o Brasil, no novo estudo, o cenário sem qualquer medida de enfrentamento aponta:

-Mortos: 1,15 milhão
-Infectados: 187,7 milhões
-Hospitalizações: 6,2 milhões
-Casos graves: 1,5 milhão


Assinam o estudo quase 50 cientistas, incluindo um grupo relacionado à Organização Mundial da Saúde (OMS). Em um cenário com a implementação de medidas parciais de isolamento para a população, com restrições a eventos e aglomerações, o número de mortes cai para 627 mil, e o de infectados para 122 milhões.

Há, ainda, um cenário com isolamento imposto somente para idosos:

-529 mil mortos
-120 milhões de infectados
-3,2 milhões de hospitalizações
-702 mil casos graves


Fonte: G1

Coronavírus: Justiça suspende campanha criminosa de Bolsonaro contra isolamento social

A Justiça Federal do Rio de Janeiro determinou, em caráter liminar, que o governo federal deixe de veicular em meios de comunicação a campanha publicitária "O Brasil não pode parar", que defende a suspensão do isolamento social como estratégia para o combate à covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.


A medida foi pedida ontem pelo MPF (Ministério Público Federal) e concedida pela juíza federal Laura Bastos Carvalho, no plantão judiciário. A decisão barra propaganda do governo que não tenha embasamento técnico do Ministério da Saúde e científico.


Segundo ela, a ordem é para que "a União se abstenha de veicular, por rádio, televisão, jornais, revistas, sites ou qualquer outro meio, físico ou digital, peças publicitárias relativas à campanha ’O Brasil não pode parar’, ou qualquer outra que sugira à população brasileira comportamentos que não estejam estritamente embasados em diretrizes técnicas, emitidas pelo Ministério da Saúde, com fundamento em documentos públicos, de entidades científicas de notório reconhecimento no campo da epidemiologia e da saúde pública".



Em caso de descumprimento por parte do governo federal, a juíza determina a aplicação de multa de R$ 100 mil.


Fonte: UOL

🎥Bolsonaro não nega que quer dar um golpe e reação de Datena é impagável

Questionado se seria capaz de dar um golpe e fechar o país, Bolsonaro se limitou a responder que "quem quer dar o golpe jamais vai falar que quer dar"; assista:

Datena: o senhor teria coragem de dar um golpe?
Bolsonaro: ninguém que pretenda dar um golpe vai responder que sim, Datena.
A cara do Datena foi surreal

Bolsonaro debocha de mortes causadas pelo coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (27) que "alguns vão morrer" pelo novo coronavírus, mas não se "pode parar uma fábrica de automóveis porque tem mortes no trânsito".


"Alguns vão morrer, vão morrer, lamento, é a vida. Não pode parar uma fábrica de automóveis porque tem mortes no trânsito", afirmou o chefe de Estado em entrevista para o Brasil Urgente, da Band.

Ele voltou a afirmar que a COVID-19, doença causada pelo coronavírus, era uma "gripezinha".


"Para 90% da população, isso vai ser uma gripezinha ou nada", disse. "O número de óbitos abaixo dos 40 anos é insignificante", complementou.

’Não estou acreditando nesses números’

Bolsonaro colocou em xeque os números de mortos registrados pelo próprio governo em relação ao estado de São Paulo. O presidente vem criticando as medidas de restrição à circulação adotadas pelo governador de São Paulo, João Doria.

“No Rio de Janeiro, até os dados de ontem, nove óbitos, e 58 em São Paulo. Eu sei que a população tem uma diferença, mas está muito grande pra São Paulo. Não pode ser um jogo de números pra favorecer interesses políticos. Não estou acreditando nesses números de São Paulo, até pelas medidas que ele [Doria] tomou", disse Bolsonaro.


Os números de casos e mortes são contabilizados pelas Secretarias estaduais de Saúde, mas divulgados pelo Ministério da Saúde.

’O remédio para a doença é o trabalho’

Bolsonaro disse ainda que a população precisava voltar ao trabalho, chamando as medidas de isolamento social recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de alarmismo.

"O Brasil não pode quebrar por causa de um vírus. Tentam quebrar o Brasil com esse alarmismo", afirmou.


"O maior remédio para a doença é o trabalho. Quem pode trabalhar, tem que voltar a trabalhar", acrescentou.

’Não se pode esconder’

Bolsonaro disse ainda que permanecer em quarentena era se esconder.


"Não pode se esconder, ficar de quarentena não sei quantos dias em casa e está tudo bem. Não é assim", criticou.


Fonte: Brasil 247

Militares se reúnem e sinalizam apoio a Mourão

Os militares já estão prontos para apoiar a substituição de Jair Bolsonaro por Hamilton Mourão, segundo informa o jornalista Afonso Benites, do El Pais. "A cúpula das Forças Armadas acendeu um sinal de alerta nos últimos dias diante das reações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à crise do novo coronavírus. Nesta semana, representantes da Aeronáutica, Exército e Marinha sinalizaram ao até então nem tão bem-quisto vice-presidente, general Hamilton Mourão (PRTB), que poderiam contar com o apoio deles, caso o ocupante do Palácio do Planalto deixasse o cargo por meio de um impeachment ou renúncia", diz ele, em reportagem.


Embora o debate sobre renúncia ou impeachment não seja de curtíssimo prazo, o debate sobre a incapacidade e a irresponsabilidade de Bolsonaro tem se intensificado. "Militares têm feito seguidas reuniões em Brasília, inclusive com aliados de Bolsonaro e membros civis de seu primeiro escalão. Nesta semana, ao menos dois encontros ocorreram. Neles foram debatidos cenários hipotéticos para o médio e longo prazo", informa o jornalista. "O grupo está preocupado com um possível aumento repentino de registros e mortes provocadas pela doença e que isso seja vinculado ao discurso negacionista feito por Bolsonaro sobre a gravidade da Covid-19."


Fonte: Brasil 247

sexta-feira, 27 de março de 2020

Bolsonaro lança a campanha "O Brasil não pode parar", que ameaça a vida de milhões de brasileiros

Isolado, em confronto com governadores, os outros poderes da República, a sociedade médica, a opinião pública e a comunidade internacional, Jair Bolsonaro vai para a ofensiva e agora aposta na propaganda para tentar forçar o fim da quarentena e da política de isolamento social


Jair Bolsonaro está divulgando um vídeo como peça de propaganda e mobilização contra o isolamento social, estimulando que as pessoas saiam às ruas e voltem ao trabalho, contrariando orientações da Organização Mundial da Saúde e as determinações dos governadores estaduais.


Apesar das críticas generalizadas que seu pronunciamento em rede de TV no início da semana gerou, Bolsonaro insiste em sua tese de quebra do isolamento social. 
De acordo com reportagem da Folha de S.Paulo, a peça publicitária foi distribuída, em forma de teste, para as redes bolsonaristas. Nela, há afirmações como: "O Brasil não pode parar". 
A campanha bolsonarista contra o isolamento social está sendo divulgada na página da Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência), cujo chefe, Fabio Wajngarten, foi contaminado pelo coronavírus. 
Bolsonaro postou em sua conta no Facebook o vídeo de uma carreata realizada em Camburiú (SC) contrária ao isolamento social.  


Fonte: Brasil 247

Renda emergencial para quarentena foi conquista da oposição a Bolsonaro

Do PT;org:
SEGURO QUARENTENA aprovado hoje pela Câmara foi resultado de proposta do PT e da oposição. Lembrem, Bolsonaro queria dar apenas R$ 200,00
O QUE APROVAMOS:
Benefícios do seguro quarentena – Renda Emergencial
VALORES
1. R$ 600 – individual
2. R$ 1200 – até dois membros da família
3. R$ 1200 – mulheres chefes de família com filhos menores de 18 anos
PERÍODO
1. Três (3) meses, prorrogáveis por igual período
QUEM PODE ACESSAR
1. Maiores de 18 anos;
2. Não tenha emprego formal;
3. Não receba: benefício social, previdenciário ou seguro- desemprego, com exceção do Bolsa Família, ou seja quem recebe Bolsa Família pode ter direito, mas terá que optar pelo mais vantajoso;
4. Tenha renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo, ou renda mensal familiar total de até três salários mínimos;
5. Que em 2018 não tenha recebido rendimentos como salário e faturamento de até R$ 28.599.70;
6. Os idosos sem aposentaria se encaixam nas outras regras já existentes para acessar o Benefício de Prestação Continuada (BPC);
QUE EXERÇA ATIVIDADE COMO
1. Microempreendedor Individual (MEI);
2. Contribuinte Individual do INSS;
3. Trabalhador Informal de qualquer natureza inscrito no CAD Único ou que se encaixe no critério de renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo, ou renda mensal total de até três salários mínimos.
4. O auxílio será pago por banco federal através de poupança social digital
5. Governo expedirá regulamento sobre como e a quem solicitar assim que o projeto seja sancionado pelo presidente
– semana q vem o projeto sera debatido no Senado e depois vai a sanção presidencial

(...)

Bolsonaro entra na Justiça e reabre aeroportos no Ceará; primeiro voo veio dos EUA, epicentro da pandemia

O estado estava proibido de receber voos de países que tenham números oficiais de mortos ou contagiados pelo coronavírus


A pedido da Advocacia-Geral da União (AGU), o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) derrubou a liminar que impedia desembarques internacionais no Aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza. O Ceará estava proibido de receber voos de países que tenham números oficiais de mortos ou contagiados pelo coronavírus.


Poucos minutos depois da decisão, o aeroporto recebeu um avião da Latam que chegou de Miami, na madrugada desta quinta-feira (26). Os Estados Unidos concentram mais de 80 mil casos de coronavírus, número que ultrapassou a quantidade de infectados na China, primeiro epicentro da doença.
O argumento utilizado pela AGU, de acordo com O Povo, diz que a liminar prejudicou as operações da Latam. Com a nova decisão, a empresa aérea já revelou que outros 15 aviões internacionais estão previstos para chegar ao estado nos próximos sete dias.


O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), foi às redes sociais para protestar contra a decisão do governo de Jair Bolsonaro em permitir que os voos internacionais cheguem ao estado neste momento de pandemia.
“Tribunal Federal (TRF-5) derruba decisão da Justiça do Ceará e permite pouso de voos internacionais em Fortaleza. O primeiro veio dos EUA. Acatou pedido da Advocacia Geral da União, do Governo Federal. Uma perda na nossa luta contra o avanço ao coronavírus em nosso Estado”, escreveu.

Confira:
Tribunal Federal (TRF-5) derruba decisão da Justiça do Ceará e permite pouso de voos internacionais em Fortaleza. O primeiro veio dos EUA. Acatou pedido da Advocacia Geral da União, do Governo Federal. Uma perda na nossa luta contra o avanço ao coronavírus em nosso Estado.
View image on Twitter

1,226 people are talking about this

Fonte: Revista Fórum



quarta-feira, 25 de março de 2020

Como um moleque, Bolsonaro cancela coletiva para ouvir Doria falar no Palácio dos Bandeirantes

Jair Bolsonaro ainda não iniciou a coletiva que seus organizadores organizaram para esta manhã. Ao mesmo tempo, Doria realiza uma coletiva e nela disse que Bolsonaro ainda não começou a falar porque está assistindo o evento em São Paulo.
Certamente, quer falar por último


Esse presidente é um moleque.
Doria disse que Bolsonaro teria cancelado a sua coletiva.


Fonte: DCM

Perguntado se é a favor do impeachment, Doria responde que Bolsonaro mais atrapalha que ajuda

O governador de São Paulo, João Doria, foi perguntado se considerava o impeachment uma solução para o problema que o Brasil atravessa. Doria não respondeu diretamente.



Disse que este é um tema para o Congresso Nacional.
Mas, em seguida, acrescentou que pesquisa Datafolha informou que a maioria da população considera que Bolsonaro mais atrapalha do que ajuda.
Afirmou que ele também pensa assim.
Nunca na história recente do país um governador de São Paulo se referiu ao presidente desta forma.
Bolsonaro emporcalhou a Presidência da República.


Fonte: DCM

Presidente da OAB chama Bolsonaro de desonesto

Após pronunciamento em que o presidente Jair Bolsonaro, em rede nacional, voltou a falar em histeria em torno da pandemia da Covid-19 – que deixa mais de 16,3 mil mortos no mundo -, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz reforçou a orientação sobre o isolamento social para conter o novo coronavírus e criticou a atitude do presidente. “Entre a ignorância e a ciência, não hesite. Não quebre a quarentena por conta deste que será reconhecido como um dos pronunciamentos políticos mais desonestos da história”, afirmou o chefe da maior entidade da advocacia no País em seu perfil no Twitter na noite desta terça, 24.

Entre a ignorância e a ciência, não hesite. Não quebre a quarentena por conta deste que será reconhecido como um dos pronunciamentos políticos mais desonestos da história.


14,6 mil pessoas estão falando sobre isso

O Brasil conta com 48 mortes e 2.201 casos confirmados em todas as unidades federativas. De acordo com dados do Ministério da Saúde, o aumento do número de casos confirmados da Covi-19 foi de 16,4% entre esta segunda, 23 e terça, 24.
Em meio a esse cenário, o presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento em que defendeu o fim do ‘confinamento em massa’, afirmou que a imprensa ‘espalha a sensação de pavor’ e disse que não há motivo para fechar escolas, uma vez que o grupo de risco é composto por, também, pessoas com mais de 60 anos. “São raros os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos”, disse.
O pronunciamento de Bolsonaro foi preparado no gabinete do presidente com a participação de poucas pessoas e em segredo. O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) participou da elaboração do texto e também estavam presentes, segundo o Estado apurou, integrantes do ‘gabinete do ódio’, onde atuam assessores responsáveis pelas redes sociais pessoais do presidente e ligados a Carlos.
O discurso gerou diferentes críticas. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirmou que a fala de Bolsonaro foi grave e cobrou uma liderança ‘séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população’. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), considerou ‘equivocado’ o pronunciamento e criticou o fato de Bolsonaro usar a estrutura de transmissão para distribuir ataques.
O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes também se pronunciou após a fala de Bolsonaro e voltou a pedir que os brasileiros fiquem em casa. “As agruras da crise, por mais árduas que sejam, não sustentam o luxo da insensatez”, afirmou o ministro.
Assim como nas redes sociais de diferentes políticos e autoridades do País, o coronavírus têm sido tema recorrente no perfil de Felipe Santa Cruz no Twitter. Nos últimos dias, o presidente da OAB compartilhou textos sobre as atividades da entidade diante da crise da Covid-19 e também se pronunciou sobre as medidas provisórias do presidente – a que restringiu Lei de Acesso à Informação e a que autorizou a suspensão de contratos de trabalho por quatro meses. Com relação à esta última, o dispositivo já foi suspenso.

Liberdade e transparência: conquistam-se a duras penas; perdem-se em um momento de descuido. Lei de Acesso à Informação não pode sofrer retrocessos. Não é hora de canetadas e oportunismo.
328 pessoas estão falando sobre isso

Autorizar a suspensão do contrato de trabalho por 4 meses é enviar a conta da crise para a casa do pobre.
É pedir mais, de quem não tem nada para dar!
1.102 pessoas estão falando sobre isso

Haverá a postura individual da qual se terá orgulho; e as que serão tidas como imprudentes e irresponsáveis. Haverá os líderes que conduziram seu povo à contenção e à superação da crise; e os que contribuíram para o agravamento das perdas. É hora de escolher o lugar na história.
114 pessoas estão falando sobre isso