quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Empresário revela atuação de Queiroz na campanha de Bolsonaro

O empresário Paulo Marinho, afirmou em depoimento na CPMI das Fake News, que Queiroz frequentava o “QG” da campanha de Bolsonaro.
Em depoimento feito na sessão da CPMI das Fake News, nessa terça-feira (10), o empresário Paulo Marinho, afirmou que Fabrício Queiroz, ia até sua casa, que servia como uma espécie de QG de Bolsonaro, sempre acompanhado do senador Flávio Bolsonaro.


Segundo o empresário, Queiroz foi até o QG, “duas ou três vezes”, segundo seu depoimento na CPMI das fake news.

Queiroz é o centro do escândalo, que envolve o senador Flávio Bolsonaro, com suspeitas de rachadinhas. E uma série de depósitos suspeitos na conta de Flávio Bolsonaro, identificados pelo COAF.


Além de cheques de Queiroz para Michelle Bolsonaro, a atual primeira-dama do Brasil. Um total de 10 cheques.
“Ele servia o senador como motorista, e eventualmente segurança, não sei qual era o trabalho que fazia; nas vezes em que o senador Flávio foi à minha residência, estava acompanhado do Queiroz”, declarou Paulo Marinho.
Paulo Marinho em entrevista a Globo News, afirmou que repassavam fake news no QG de Bolsonaro, que era sua residência. No entanto hoje, ele afirmou que foi “mal interpretado”.
“O que eu repassava eram memes, o que eu chamo de fake news é aquela coisa de produzir uma desconstrução da idoneidade de uma determinada pessoa e tentar viralizar”, argumentou em sua defesa.


Hoje, o empresário é suplente de Flávio Bolsonaro (sem partido) e atual presidente do PSDB no Rio de Janeiro. Segundo Marinho, Flávio Bolsonaro lhe pediu conselhos sobre o caso COAF, que envolvia Queiroz, mostra o UOL.
A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou que as milícias digitais bolsonaristas, operavam com dinheiro público para espalhar mentiras e agredir críticos do governo Bolsonaro. Marinho  disse não saber em depoimento a CPI, se membros da campanha de Bolsonaro disparavam fake news.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário