domingo, 15 de setembro de 2019

Com medo de traição, Bolsonaro troca núcleo duro do governo

Os assessores da campanha eleitoral de Bolsonaro na já saíram do governo em função do pânico de traições que habita o coração do Planalto, relata a jornalista Jussara Soares, do jornal O Globo. No governo, Jair Bolsonaro se cercou de amigos de longa data, assessores da época da Câmara e auxiliares que contam com a bênção de seus filhos.



A reportagem do jornal O Globo destaca que "com acesso irrestrito ao gabinete e prioridade no WhatsApp presidencial, esse grupo é composto por assessores e alguns ministros. Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral e Subchefia de Assuntos Jurídicos, é o novo homem forte do Planalto, com direito a uma sala no terceiro andar, onde fica o gabinete do presidente. Oliveira é filho do capitão do Exército Jorge Francisco, morto em abril de 2018 e que por 20 anos atuou como chefe de gabinete de Bolsonaro. Advogado e major da Polícia Militar, o ministro também foi chefe de gabinete do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)."


A matéria ainda sublinha que "de seu tempo na Câmara, Bolsonaro trouxe para o Planalto o major reformado Pedro César Sousa, que assumiu a chefia de gabinete, e o ex-assessor parlamentar da Marinha Célio Faria Júnior, como seu assessor-chefe. Discretos, segundo interlocutores, ambos acompanham as discussões, mas pouco opinam sobre os temas da gestão. A eles, Bolsonaro entregou a missão de manter a “tranquilidade” e a “organização” do ambiente presidencial."


Fonte: Brasil 247
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário