terça-feira, 12 de março de 2019

Incompetência passou do limite: Revolta interna pode derrubar ministro da educação, que nem brasileiro é

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, estaria sendo alvo de um motim interno da pasta para que tenha sua imagem enfraquecida e seja substituído. Vélez Rodríguez, que faz parte do trio ideológico do governo Jair Bolsonaro - junto com Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, e Damares Alves, dos Direitos Humanos, Mulher e Família - foi indicado pelo astrólogo e autoproclamado filósofo Olavo de Carvalho.

"Funcionários ligados ao filósofo Olavo do Carvalho passaram a ventilar nomes de possíveis substitutos alinhados ideologicamente a eles. O movimento exarceba a rivalidade entre os três grupos presentes na pasta, ideólogos, militares e técnicos", escreve a jornalista Renata Cafardo, que tem um blog sobre Educação no site do Estado de S.Paulo.



Diante do conflito, o ministro cancelou uma viagem de 14 dias que faria a Israel, Alemanha e Dubai, que começaria nesta segunda-feira 11. No fim da tarde, ele pediu uma audiência com o presidente Jair Bolsonaro e foi recebido, junto com dois assessores e a deputada federal Bia Kicis (PFL-DF).

Já segundo a jornalista Vera Magalhães, o próprio Olavo de Carvalho já estaria trabalhando abertamente para a derrubada do pupilo e na indicação de seu sucessor. O motivo, segundo ela, seria o fato de Olavo não perdoar o ministro por ter tomado o lado dos militares na disputa interna por poder.

"O ideólogo da Virgínia indicou para o lugar de Vélez o secretário de alfabetização da pasta, Carlos Nadalim. Ele é defensor ardoroso do homeschooling e dono da página da internet Como Educar seus Filhos", informa a jornalista. 



Fonte: Brasil 247
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário