terça-feira, 31 de agosto de 2021

Haddad: mídia conservadora ataca Lula contra regulamentação, mas tentaram tirar do ar Intercept, BBC e El País


Brasil 247O ex-prefeito de São Paulo e ex-candidato à Presidência Fernando Haddad colocou o dedo na ferida ao comentar os ataques da Folha de S.Paulo e O Globo às declarações do ex-presidente  Luiz Inácio Lula da Silva a favor da modernização da regulação das mídias no Brasil nos moldes da Inglaterra.

Haddad ironizou a pretensa defesa da “liberdade de expressão” num tuíte na manhã desta terça-feira (31): “Você sabia que a Associação Nacional de Jornais, comandada por Folha e Globo, entrou no STF para tirar do ar a BBC Brasil, o The Inercept e o El País com base no art. 222 da CF?”

Veja:



Você sabia que a Associação Nacional de Jornais, comandada por @folha e @OGlobo_Br, entrou no STF para tirar do ar a @bbcbrasil, o @TheInterceptBr e o @elpais_brasil com base no art. 222 da CF?
10.3K
426
Share this Tweet




O artigo 222 da Constituição prevê: “A propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e imagens é privativa de brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos, aos quais caberá a responsabilidade por sua administração e orientação intelectual.”


Apesar da prescrição da Constituição que Globo e Folha agora defendem, a TV Globo só existe graças a um acordo com o grupo Time-Life no início dos anos 1960: “Em junho de 1962, Marinho passou a ser apoiado com milhões de dólares, num episódio que a emissora ainda hoje sustenta que se tratou apenas de “um contrato de cooperação técnica”. A realidade, fartamente documentada por Daniel Herz, em sua obra já clássica A história secreta da Rede Globo (1995), prova o contrário. Roberto Marinho e o grupo Time-Life contraíram um vínculo institucional de tal monta que os tornou sócios, o que era vedado pela Constituição brasileira. Foi este vínculo que assegurou à Globo o impulso financeiro, técnico e administrativo para alcançar o poderio que veio a ter” - leia reportagem de Ângela Carrato na RBA.

Da mesma maneira, a Folha de S.Paulo é hoje, de fato, propriedade de uma instituição com sócios estrangeiros e ações na Bolsa de Nova York, o PagSeguro.



0 comentários:

Postar um comentário