domingo, 25 de julho de 2021

Missão Universal: Mourão levou 17 servidores a Angola ao custo de R$ 340 mil

 


 Folha de S. Paulo  -Portaria assinada pelo general Hamilton Mourão em 2 de julho liberou 17 servidores para o acompanharem na viagem para Luanda, na Angola, onde participou da cúpula da CPLP (Comunidades dos Países de Língua Portuguesa).

Nesse roteiro, Mourão recebeu de Jair Bolsonaro a missão de intervir em crise da Igreja Universal no país, como mostrou o jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo dados do Painel de Viagens, elaborado pelo Ministério da Economia, passagens e diárias relacionadas à missão custaram, até o momento, R$ 340 mil ao governo federal. Os dados ainda não foram integralmente computados.



O governo não tem relação com a crise privada da igreja, mas o presidente tenta agradar ao eleitorado evangélico. O presidente angolano, João Lourenço, rejeitou sugestão de Mourão de receber delegação parlamentar brasileira ligada à Universal.




0 comentários:

Postar um comentário