domingo, 18 de julho de 2021

Fux socorreu Bolsonaro e pretexto para reunião é falso, diz Janio de Freitas

 


O jornalista Janio de Freitas escreveu em sua coluna da Folha de S. Paulo de sábado (17), que o ministro do STF Luiz Fux desconsiderou a separação dos três Poderes e fez isso “com um sentido político inadmitido na magistratura”. O colunista avaliou que “o pretexto divulgado para uma reunião com Bolsonaro, a seu convite, não resiste à observação mais simples. O componente político ressalta-se”.



Para Janio, Fux “socorreu Bolsonaro no momento em que os fatos saíam de todos os controles da Presidência, com a descoberta de dois bandos trapaceiros no Ministério da Saúde, militares em disputa de hienas ante mais de 500 mil mortos, o próprio Bolsonaro nas revelações, a ameaça militar e a rejeição firme ao voto impresso”.

Os 20 minutos de reunião que Fux e Bolsonaro disseram ter, na verdade, não chegaram nem a dez. Foi o que calculou o colunista, ao considerar os cumprimentos no começo e no final e o tempo do “Pai Nosso”, que ambos disseram ter orado. “Concluída a reunião, Luiz Fux explicou-a como propósito de ‘debatermos’ a importância do ‘respeito às instituições e aos limites impostos pela Constituição’. Bolsonaro em tal debate parece humorismo”, escreveu Janio de Freitas.




0 comentários:

Postar um comentário