sexta-feira, 19 de março de 2021

O cerco se fecha e Bolsonaro já fala como ditador; o golpe vem aí


Não foi por falta de aviso. Eu e as torcidas do Galo, Corinthians e Flamengo já cansamos de avisar: Bolsonaro sonha com o golpe, trabalha pelo golpe e irá tentar o golpe. Colunas minhas e de tantos outros jornalistas independentes estão aí, aos montes, para não me deixar mentir.



Na manhã desta sexta-feira, 19, que mais se parece com 13, o maníaco do tratamento precoce, agora rebatizado de “tratamento inicial”, voltou a flertar escancaradamente com o auto golpe, como não fazia desde meados do ano passado, quando Fabrício Queiroz foi preso, encontrado num cafofo do advogado da família Bolsonaro, em Atibaia, atirando seu amigo de décadas no silêncio dos medrosos por um bom tempo.



Coincidentemente ou não, à medida em que o STJ e o STF foram aliviando a barra do senador das rachadinhas, e do próprio Queiroz, além de dizimarem de vez, ao lado da PGR, a Lava Jato, o devoto da cloroquina foi, pouco a pouco, colocando o Hugo Chávez para fora do armário, e já não disfarça mais o que quer e o que, muito provavelmente, uma hora ou outra, de uma forma ou de outra, irá tentar.




O marido da receptora de cheques de milicianos ameaçou, hoje, os governadores com um “estado de sítio”, em resposta às medidas de isolamento social que estão determinando em seus estados, bem como, mais uma vez, se referiu às Forças Armadas Brasileiras como “seu exército”, que, segundo ele, jamais irá obrigar o cidadão a ficar em casa, ainda que isso confronte a lei e a Constituição Federal.

Com o perdão da força da expressão, se estes babacas do Congresso, que até agora se mantiveram silentes e cúmplices ao que está em curso, continuarem fazendo cara de paisagem e não provocarem a Justiça contra este homicida golpista, irão sentir o gosto amargo de um novo AI-5, como tanto quer o bolsokid Bananinha, ainda que tal medida não prospere por muito tempo, já que tentar é uma coisa, e conseguir (o golpe), é outra muito diferente.



De minha parte, é bom eu Jair arrumando minhas malas e partir para Cuba ou Venezuela, ditaduras horrendas que os bolsonaristas odeiam justamente por serem aquilo que tanto sonham e desejam: ditaduras! Duro será convencer os caras a me deixarem entrar, já que 108 países nos fecharam as fronteiras na cara por causa da gripezinha, do resfriadinho. E, como sou igualmente odiado pelo lulopetismo, nem poderei pedir ajuda ao meliante de São Bernardo do Campo. Me lasquei.



Fonte: IstoÉ

0 comentários:

Postar um comentário