sábado, 20 de março de 2021

Bolsonaro “é o pior cidadão brasileiro que existe no planeta, ele é o caos”, diz Casagrande


Esta semana, Gabigol foi flagrado num cassino clandestino. No réveillon, em pleno isolamento social, Neymar tentou fazer uma uma festa de arromba. Sem falar em Robinho, agora condenado a nove anos de prisão, na Itália, por estupro.

Aqui, Walter Casagrande, 57 anos, o cronista e eterno craque do nosso futebol, conversou com a Coluna sobre a alienação da maior parte dos jogadores brasileiros de hoje em dia, como eles (não) atuam diante das dificuldades sociais do país e, principalmente, diante do governo de Jair Bolsonaro:


Ida a casino clandestino no meio do pico de uma pandemia, festa de réveillon com aglomeração, acusação de estupro… Casos recentes de desvios cometidos por grandes atletas do futebol brasileiro não faltam. Como classificar a geração mais recente de jogadores? São socialmente ignorantes?

Tudo isso que foi citado na pergunta eu acho um absurdo. Falta comprometimento ao jogador de futebol em relação à sociedade e ao que acontece no mundo.

Movimentos antirracistas, vacina, homofobia e várias outras coisas para as quais a sociedade despertou e resolveu lutar contra com força e razão, estão sem a voz entre os ídolos do esporte, principalmente do futebol. Eu não vou usar a expressão “mais ignorantes”, mas acho que são mais alienados.


A geração dos anos 1980 foi uma exceção. Teve a “Democracia Corinthiana” e um movimento muito forte contra a ditadura militar, nas “Diretas Já” e na luta pela redemocratização do país. Não dá para comparar nenhuma geração com aquela no Brasil, em relação a participação, consciência e comprometimento com política e social. Foi muito acima.

Mas acho que a atual, principalmente de 2000 para cá, tem exceções. Vemos o Richarlison, por quem tenho uma admiração muito grande, e o Igor Julião, jogador do Fluminense, que eu também gosto muito. Mas é pouco. No universo do futebol, isso é quase nada.



Os jogadores atuais são alienados politicamente e socialmente. Só pensam em ter, em ostentar e em comentar reality show em rede social, enquanto o Brasil está pegando fogo, sendo destruído.

(…) E a sua avaliação dos que ignoram os acontecimentos recentes e posam ao lado do presidente, tiram foto com os filhos dele…?

Eu não tenho nenhuma avaliação para essas pessoas. Não dá para avaliar quem concorda e tira foto com um político que não fez nada em relação à pandemia. É o pior presidente da história política brasileira.


Neste momento é também o pior cidadão brasileiro que existe no planeta. Ele é o caos do país. Quem vai lá tirar foto, pensa igual, é negacionista igual. Acham que está tudo bem em morrerem mais de 3 mil pessoas por dia, frequentam festas clandestinas, cassinos ilegais. Tudo beleza.

Depois vêm com as desculpas esfarrapadas possíveis, como foi o caso do Gabriel. “Eu parei para jantar, não vi que era um cassino e quando vi muita gente fui sair”. Mentira, o cara estava embaixo da mesa, com um guardanapo de pano na cabeça, com três mulheres na frente para tentar escapar da polícia. As pessoas mentem descaradamente.



Fonte: DCM

0 comentários:

Postar um comentário