quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Bolsonaro esconde renúncia fiscal de R$ 9,4 milhões para patrocinar netos de Emerson Fittipaldi

 


Pietro e Enzo Fittipaldi foram favorecidos com renúncia fiscal de R$ 4,9 milhões e R$ 4,5 milhões, respectivamente, segundo informações de Demétrio Vecchioli, do UOL


Enquanto o país agoniza em uma crise sanitária sem precedentes e o governo de Jair Bolsonaro se vê às voltas com o escândalo do leite condensado, o presidente aprovou R$ 9,4 milhões em renúncia fiscal para favorecer os netos de Emerson Fittipaldi, Pietro e Enzo, de acordo com informações da coluna Olhar Olímpico, de Demétrio Vecchioli, no UOL.


Pietro Fittipaldi almoçou, nesta terça-feira (26), com Bolsonaro. O encontro teve como intermediário o secretário especial do Esporte, Marcelo Magalhães. O piloto está à procura de patrocínios para continuar na Fórmula 1.


Em dezembro de 2020, a Secretaria havia aprovado autorização para que a Associação Brasileira de Pilotos de Automobilismo capte R$ 4,9 milhões para bancar Pietro na elite da modalidade.


Um outubro, a mesma Secretaria já tinha autorizado projeto para que Enzo Fittipaldi continue no automobilismo por meio de recursos públicos.


O projeto “Ano 1 – Enzo Fittipaldi – Fórmula 3” teve o aval para captar R$ 4,5 milhões. Portanto, no total, o governo aprovou uma renúncia fiscal de R$ 9,4 milhões em favor dos irmãos Fittipaldi.


Impostos


O que o governo chama de patrocínio, na verdade, trata-se de renúncia fiscal. Bolsonaro está liberando de impostos empresas dispostas a patrocinar os dois pilotos, o que, na atual situação do país, não deveria ser prioridade para o Executivo.


Fonte: UOL


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário