terça-feira, 14 de julho de 2020

Novo pedido de impeachment será protocolado hoje com assinaturas de personalidades e entidades de peso

Um novo pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro será encaminhado nesta terça (14) ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O documento, de 133 páginas, tem o apoio de nomes como o cantor Chico Buarque, o ex-jogador Walter Casagrande e o economista Bresser-Pereira, além de várias entidades que atuam na proteção aos direitos dos trabalhadores e das minorias, como a CUT, UNE, MNU

Na lista de supostos crimes de responsabilidade, os autores do pedido citaram falha na gestão da crise do coronavírus, ataques à imprensa, direcionamento ideológico de verba no setor audiovisual e más condutas na área ambiental.


De acordo com o texto, "as políticas de saúde foram severamente afetadas pela atuação criminosa de Jair Bolsonaro. Além da desarticulação do Sistema Único de Saúde (SUS), que já vinha sendo posta em prática no primeiro ano de gestão, a pandemia da Covid-19 escancarou o desprezo do atual governo pela proteção à saúde da população".

Bolsonaro, que afirmou na última terça-feira (7) estar infectado pelo coronavírus, violou diversas vezes recomendações de autoridades de saúde, ao estimular atos de rua e ao cumprir agenda sem máscara, além de ter se posicionado contra o isolamento radical.

Na pandemia, Bolsonaro subestimou a doença ao dizer que "talvez tenha havido um pouco de exagero" na maneira como ela foi tratada. Chegou a classificá-la como uma "gripezinha", em março, e perguntou "e daí?" ao ser questionado sobre os cinco mil mortos pela doença, em abril.



O documento conta com a adesão das entidades Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Nacional dos Estudantes (UNE), Movimento Negro Unificado (MNU), Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), ISA — Instituto Socioambiental, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) e Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT).e Apib.


Fonte: Brasil 247
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário