sábado, 4 de julho de 2020

Marmita de Queiroz é separada para evitar envenenamento na prisão

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Fabrício Queiroz está recebendo um tratamento diferenciado no presídio de Bangu 8, com marmita separada dos demais presos para evitar riscos de envenenamento. A informação é coluna de Bela Megali. Preso no dia 18 de junho por acusação de envolvimento em um esquema de lavagem de dinheiro, Queiroz já teria reclamando da qualidade da comida que vem recebendo.


Ex-advogado de Flávio e Jair Bolsonaro, Frederick Wassef revelou em entrevista à revista Veja que teria descoberto um plano para assassinar Queiroz e colocar a culpa no clã presidencial.

"Passei a ter informações de que Fabrício Queiroz seria assassinado. O que estou falando aqui é absolutamente real. Eu tinha a minha mais absoluta convicção de que ele seria executado no Rio de Janeiro. Além de terem chegado a mim essas informações, eu tive certeza absoluta de que quem estivesse por trás desse homicídio, dessa execução, iria colocar isso na conta da família Bolsonaro", disse à revista Veja.


"Havia um plano traçado para assassinar Fabrício Queiroz e dizer que foi a família Bolsonaro que o matou em uma suposta queima de arquivo para evitar uma delação", acrescentou.

Fonte: Brasil247

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário