terça-feira, 16 de junho de 2020

Dez deputados federais e um senador tiveram sigilos quebrados

Por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), dez deputados federais e um senador têm os sigilos bancários quebrados como parte do inquérito que apura a organização e o financiamento de atos antidemocráticos. 
O pedido foi feito, de acordo com a apuração da CNN, pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Na tarde desta terça-feira (16), mais três suspeitos foram presos pela PF, investigados por participação na organização destes atos. Todos os 11 parlamentares compõem a base de apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Congresso Nacional, sendo que nove pertencem ao PSL, ex-partido do presidente.
Na lista, está o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), que foi alvo de mandado de busca e apreensão e também intimado a depor na superintendência da PF, em Brasília. Em entrevista à CNN, o deputado afirmou "desconhecer atos de empresários ou núcleos que financiam as manifestações, mas sei de histórias de doações para ajudar nas manifestações. Sobre os empresários investigados, conheço alguns, mas não estamos ligados e não patrocinamos os atos", afirmou.
A produção da CNN procura os citados.
São eles:
Deputados:
Daniel Silveira (PSL-RJ)
A respeito da decisão do STF, o deputado Daniel Silveira ironizou, afirmando que "e ainda dizem que a independência e harmonia entre os poderes permanecem".
E ainda dizem que a independência e harmonia entre os poderes permanecem... Você acredita?
View image on Twitter

1,012 people are talking about this


Junio Amaral (PSL-MG)
Pelas redes sociais, o deputado Junio Amaral afirmou ter sabido da decisão pela imprensa, disse "pouco importar para o que verão lá", mas que "chegamos ao extremo".
Otoni de Paula (PSC-RJ)
Carolina de Toni (PSL-SC)
Carla Zambelli (PSL-SP)
Em nota enviada à CNN, a assessoria de imprensa da deputada "esclarece que a defesa da parlamentar não foi intimada a respeito de suposta quebra de sigilo bancário da deputada, não sabendo sequer em qual procedimento a referida decisão pode ter sido ultimada".
A parlamentar afirma que "se alguém espera encontrar algo que me comprometa, terá uma grande decepção".
Reforçamos que a parlamentar está, como sempre esteve, à disposição das autoridades.
Alê Silva (PSL-MG)
Procurada pela CNN, a deputada repetiu a ironia que fez pelas redes sociais: "Se possível, deixem dinheiro na conta, pois ajudo muitas entidades sociais". "Podem vasculhar, pois não devo nada a ninguém", disse. A parlamentar ainda negou qualquer relação com os militantes pró-governo que estavam acampados em Brasília.
Bia Kicis (PSL-DF)
General Girão (PSL-RN)
Guiga Peixoto (PSL-SP)
Aline Sleutjes (PSL-PR)
A deputada foi procurada pela CNN, mas ainda não se manifestou pois participa nesta tarde de uma transmissão ao vivo com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.
Senadores:
Arolde de Oliveira (PSD-RJ)

Fonte: CNN Brasil
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário