domingo, 8 de março de 2020

Trump manda Bolsonaro evitar tecnologia chinesa da Huawei no 5G

Um dos objetivos do encontro em Miami, na noite de ontem, foi ressaltar que os Estados Unidos não aceitam a tecnologia chinesa no Brasil


PALM BEACH, Estados Unidos (Reuters) - O governo norte-americano vê a entrada da chinesa Huawei no mercado de 5G brasileiro como um possível impedimento para o desenvolvimento de uma relação forte de cooperação na área de defesa e inteligência entre Brasil e Estados Unidos, disse nesta sábado um assessor de alto escalão da Casa Branca em um briefing sobre o encontro entre os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump.
O tema não necessariamente seria tratado entre os dois presidentes no jantar da noite deste sábado em Mar-a-Lago, a residência não oficial de verão do presidente norte-americano na Flórida, disse o assessor, falando em condição de anonimato dada a sensibilidade dos temas tratados nas conversas entre governos.
“Nós acreditamos fortemente, e olhe, claramente, que para ter uma cooperação forte de defesa e inteligência com o Brasil, você sabe, ter os chineses penetrando a rede de 5G, particularmente pela Huawei, iria se tornar um enorme impedimento. Esse é apenas um fato, um fato lamentável. Isso está por exemplo afetando nossa relação com o Reino Unido”, disse o assessor de Trump.


Até agora, o governo brasileiro não impôs nenhuma restrição à entrada da Huawei, uma das únicas empresas com tecnologia 5G, no Brasil. Até pelo interesse das empresas que operam no Brasil em adotar a tecnologia chinesa. No entanto, o leilão, inicialmente programado para março, foi adiado para outubro e agora deve ficar para 2021.
“Então, isso é realmente um tema de segurança nacional para nós, e também deveria ser para o Brasil. Claramente o Brasil não vai querer que os chineses, através da Huawei ou outros meios, coloquem em perigo a privacidade dos seus cidadãos ou a segurança da sua infraestrutura através da penetração nessas redes”, disse o auxiliar de Trump.

Fonte: Brasil
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário