terça-feira, 10 de março de 2020

MPF pede explicações ao governo Bolsonaro por esvaziamento do Bolsa Família no Nordeste

Somente 3% dos novos beneficiários do programa são da região



A notícia de que apenas apenas 3% das famílias incluídas no Bolsa Família em 2020 são do Nordeste gerou um pedido de explicações por parte do Ministério Público Federal direcionado ao Ministério da Cidadania, de Onyx Lorenzoni.
“Embora pareça inconcebível que o Governo Federal esteja deliberadamente preterindo a Região Nordeste em um programa de transferência de renda destinado a erradicar a pobreza, essa hipótese não pode ser prontamente descartada”, afirma ofício assinado pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) e pela Procuradoria da Bahia.
Segundo levantamento realizado pelo Estado de S. Paulo, somente 3% das famílias inseridas no programa este ano fazem parte da região Nordeste – a que apresenta os maiores índices de extrema pobreza. A região vista como de difícil capilaridade para o bolsonarismo.
Os números ficam ainda mais gritantes quando é levada em conta a quantidade de pessoas na fila do programa. Apenas apenas 0,23% das famílias nordestinas registradas no Cadastro Único do Governo Federal (porta de entrada pro programa) foram chamadas este ano.
Por outro lado, o Sul e o Sudeste – onde Bolsonaro concentra sua base eleitoral – foram os maiores beneficiados, com 75% dos novos ingressantes.
“O Estado é obrigado a atender todas as famílias em situação de pobreza e extrema pobreza com o Bolsa Família, desenvolvendo ações para ampliar o cadastro, especialmente para alcançar locais mais pobres e de difícil acesso, concedendo os benefícios e garantindo recursos para seu pagamento”, diz ainda o MPF.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário