terça-feira, 17 de março de 2020

Classe média de São Paulo prepara panelaço contra Bolsonaro no 18M

Pelas redes sociais, peças feitas especialmente para o aplicativo WhatsApp já circulam em grupos e avulsos, com a marcação de data e hora para um protesto conjunto: a quarta-feira 18, a partir das 20h30. Numa das convocatórias de maior circulação, com destaque para a exclamação ‘Basta!’, o título é ‘Vozes da janela contra Bolsonaro’


BR 2 Pontos - A classe média paulista está sendo convocada a gritar, das janelas de seus apartamentos e casas, a palavra de ordem “fora Bolsonaro”. Pelas redes sociais, peças feitas especialmente para o aplicativo WhatsApp já circulam em grupos e avulsos, com a marcação de data e hora para um protesto conjunto: a quarta-feira 18, a partir das 20h30. Numa das convocatórias de maior circulação, com destaque para a exclamação ‘Basta!’, o título é ‘Vozes da janela contra Bolsonaro’.
Ontem, em alguns prédios da região dos Jardins, zona nobre da capital paulistana, os primeiros gritos contra o presidente, saídos desse segmento social, já puderam ser ouvidos, ainda tímidos. Outro sinal de que esse pilar de sustentação de Bolsonaro pode estar sendo abalado é o fato de o tuíte com a cena completa de um haitiano, ontem à noite, na porta do Palácio da Alvorada, dizendo à frente do próprio Bolsonaro que “você não é mais presidente, pede para desistir, você espalhou o vírus”, estar ‘bombando’. Trata-se da postagem mais comentada do dia, até aqui, na rede social.
A depender do volume de adesão e amplitude de iniciativas do tipo ‘Vozes da janela contra Bolsonaro’, o presidente pode ver agravados seus problemas de crescente isolamento político. Os ex-presidentes Fernando Collor e Dilma Rousseff caíram, via Congresso, após panelaços surgidos nas janelas da classe média paulistana, que se espalharam pelo Brasil. Agora, o prometido ‘gritaço’ pode vitimar Bolsonaro.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário