segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Moro diz que se confundiu ao acusar Lula

“Houve uma confusão, já que quando há ameaça ao presidente temos requisitado inquérito com base no Código Penal e na Lei de Segurança Nacional. Nesse caso, não era ameaça, era calúnia. Não se faz referência [no pedido de abertura de inquérito] à Lei de Segurança Nacional”, disse Sergio Moro ao Painel.


Em um despacho, de novembro de 2019, o ex-juiz pediu investigação sobre declarações do ex-presidente Lula. Ele cita a possibilidade de existência de crime contra honra, mas não fala da Lei de Segurança Nacional, como havia informado o Ministério da Justiça.
A condição de ex-presidente não torna ninguém imune à lei. Então, o ex-presidente não tem imunidade para cometer crime contra honra contra quem quer que seja”, completou o ministro.


O inquérito de Lula foi enviado à Justiça na semana passada. Segundo a PF, o relatório do inquérito não faz menção à Lei de Segurança Nacional.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário