terça-feira, 31 de dezembro de 2019

Para 32%, Lula deve ser o adversário de Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2022, diz pesquisa

Levantamento divulgado pelo Paraná Pesquisas mostra ainda que Sergio Moro é o principal cotado para ser vice de Bolsonaro e que quase metade dos pesquisados - 46,4% - acredita que nenhum dos filhos do presidente tem perfil para sucedê-lo


Levantamento do Instituto Paraná Pesquisas divulgado nesta segunda-feira (30) mostra que o Lula é apontado por 32% dos 2.222 pesquisados em todo o território nacional como principal adversário de Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2022.
Em segundo lugar, com 15,6%, está Ciro Gomes (PDT), seguido pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que teve 11,7% da preferência. O apresentador da TV Globo, Luciano Huck, ficou na quarta posição, com 8,3%, à frente do governador do Rio, Wilson Witzel (PSC) – 3% -, e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que teve 1,9% das indicações.
Moro
O levantamento apontou ainda que mais da metade dos pesquisados acreditam que o ex-juiz da Lava Jato e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, deve ser o candidato a vice de Bolsonaro nas próximas eleições.
O atual, Hamilton Mourão (PRTB), vem em seguida, com 16,4%, e o empresário bolsonarista Luciano Hang, o véio da Havan, aparece em terceiro, com 4,4%. Autorpoclamado o vice perfeito, o deputado Marco Feliciano (Podemos-SP) ficou na quinta colocação, com 2,2%, atrás do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Augusto Heleno – 2,7% – e à frente do “príncipe” Phillipe de Orleans e Bragança, deputado pelo PSL paulista, que foi citado por 1,6%.
Eduardo Bolsonaro
O instituto ainda pesquisou qual dos filhos de Bolsonaro tem mais perfil para sucedê-lo na presidência. Quase metade dos pesquisados – 46,4% – respondeu que nenhum deles.
Entre os escolhidos, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) teve 22,6% da preferência, seguido por Flávio, com 11,5%, Carlos, com 7,7%, e Jair Renan, membro da diretoria do Aliança pelo Brasil, com 1,9%.


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário