sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

Jornalista de direita diz que Bolsonaro se protegeu de delação de Queiroz

O jornalista Felipe Moura Brasil, notoriamente de direita e antipetista, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro usou o pacote anticrime de Sérgio Moro para se blindar e evitar a delação do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, popularmente conhecido como “Queiroz”. Ele explica como Bolsonaro teria feito para “se blindar”.



Conhecido por seu antipetismo e posições contrárias a esquerda, o jornalista Felipe Moura Brasil que é também diretor de jornalismo da Rádio Jovem Pan, criticou a sanção com vetos de Jair Bolsonaro ao pacote anticrime de Sérgio Moro. Segundo o jornalista, os vetos parciais ao pacote anticrime de Moro, visam a proteção de Bolsonaro e seu filho de uma possível delação de Queiroz, sobre os crimes cometidos na ALERJ, quando no gabinete de Flávio.
“Criação do juiz de garantias, sancionada por Bolsonaro em lei válida a partir de 24/1, tira do juiz Flávio Itabaiana eventual ação penal contra Flávio. Limite a delações, também sancionado por Jair, impedirá Queiroz de delatar outros crimes se colaborar sobre rachadinha na Alerj”, escreveu o jornalista.


A sanção de Bolsonaro foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) no dia 24 de dezembro. O pacote anticrime de Moro teve 25 pontos vetados.
Apoiadores de Moro criticaram Bolsonaro publicamente por sancionar o “juiz de garantias”. Nas redes sociais, Bolsonaro foi chamado de traidor, por apoiadores de Moro.


A hashta #Bolsonarotraidor ficou entre os assuntos mais comentados do twitter, na quarta-feira (25).
O músico Nando Moura, que participou ativamente da campanha de Bolsonaro foi um dos que incentivou a hashatg contra Bolsonaro.
A medida critica por Felipe Moura e Nando Moura, tem como função deliberar sobre decisões tomadas  durante a investigação, antes de instauração de processo criminal. A medida preservaria os direitos individuais do investigado.
Segundo Marco Aurélio Mello, Ministro do STF,  o juiz de garantias o não irá servir ao caso de Flávio Bolsonaro.
Veja o que disse Felipe Moura:
Criação do juiz de garantias, sancionada por Bolsonaro em lei válida a partir de 24/1, tira do juiz Flávio Itabaiana eventual ação penal contra Flávio. Limite a delações, também sancionado por Jair, impedirá Queiroz de delatar outros crimes se colaborar sobre rachadinha na Alerj.
3,300 people are talking about this


Fonte: Falando Verdades
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário