terça-feira, 17 de dezembro de 2019

Filha lança livro sobre Olavo de Carvalho e revela o passado do guru de Bolsonaro

Heloísa de Carvalho traz à tona vários episódios de uma infância traumática envolvendo o homem que, contrariando a lógica, tornou-se referência intelectual da extrema-direita. O texto é uma parceria com o filósofo Henry Bugalho e a publicação feita pela Kotter Editorial e a Editora 247


Mais velha de oito filhos, Heloisa de Carvalho volta a virar notícia ao falar do pai, cerca de quatro anos depois de ter publicado uma carta pública a Olavo de Carvalho, em que revelava diversos episódios de uma infância traumática. Desta vez, seu relato virou livro, em uma parceria com o filósofo Henry Bugalho. “Meu Pai: o Guru do Presidente — a face ainda oculta de Olavo de Carvalho” já está em pré-venda, publicado pela Kotter Editorial, em parceria com a Editora 247.



"Em poucos anos, Olavo de Carvalho, figura obscura, sem projeção e sem qualquer reconhecimento acadêmico, passa a ocupar o centro do poder político brasileiro. Considerado o guru ideológico do governo Bolsonaro, é responsável pela indicação de pelo menos dois ministros e vem sendo o mentor intelectual de vários ocupantes de cargos na administração e na política. Olavo simboliza hoje os contraditórios valores conservadores brasileiros e, no passo disto, instiga algumas das mais destrutivas estratégias na guerra cultural que ele e seus discípulos empreendem", diz Bugalho na apresentação do livro.



Olavo, o homem que se diz filósofo e, do estado da Virgínia (EUA), dispara constantemente agressividades contra quem criticar suas ideias de revisionismo histórico, rompeu com a filha após a publicação da carta. Ela conta agora um passado que ele tenta esconder, incluindo "vínculos com escandalosas seitas esotéricas, sua vida errática e desregrada, o grave abandono intelectual dos filhos, e toda uma trajetória pessoal e profissional centrada no culto à própria personalidade que, contra todas as expectativas e quase que desafiando a lógica, tornou-se uma incontornável referência intelectual da chamada 'Nova Direita' do país", como diz ainda o texto de Henry Bugalho.
Antes da publicação, o autor parceiro de Heloisa foi alvo de censura do governo Bolsonaro, uma das características da extrema-direita idealizada por Olavo, e a publicação do livro ficou indefinida. Confira aqui sua entrevista ao 247 na semana passada, em que Bugalho diz que a censura já é algo concreto e frequente nos dias atuais.  


Fonte: Brasil 247
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário