sábado, 28 de dezembro de 2019

Fake News de Natal: lojistas de shoppings entrarão na justiça para contestar dados que apontam alta nas vendas

"A pesquisa da Alshop é falsa, é fake news. Ela está gerando desconforto e revolta entre os lojistas", disse Tito Bessa Júnior, que é presidente da Associação Brasileira dos Lojistas Satélites e fundador da rede TNG


A Associação Brasileira dos Lojistas Satélites (Ablos), que reúne cerca de 105 mil pequenos empresários que atuam em 563 shoppings e geram mais, de 1 milhão de empregos, pretende entrar na justiça para contestar o crescimento das vendas de Natal divulgado há dois dias pela Alshop, uma outra associação que reúne cerca de 54 mil lojistas de shoppings e que aponta aumento de 9,5% no comércio natalino, além de crescimento de 7,5% no ano, em valores nominais.

“A pesquisa da Alshop é falsa, é fake news. Ela está gerando desconforto e revolta entre os lojistas”, disse, em entrevista ao Broadcast, da Agência Estado, Tito Bessa Júnior, que é presidente da Ablos e fundador da rede TNG – que empatou em vendas com o ano de 2018.
A associação não tem uma pesquisa própria que apure o desempenho das vendas. Em vez disso, tem uma sondagem com seus associados, informa Bessa, na qual 70% afirmaram que as vendas natalinas de 2019 foram iguais ou piores do que as de 2018, enquanto só 30% disseram que as vendas melhoraram.



“Não sei de onde eles tiraram esse número, tenho conversado com vários lojistas e os mesmos disseram que tiveram queda”, afirma Ângelo Campos, diretor da MOB.
Fernando Kherlakian, diretor da rede Khelf, também estranhou os dados da Alshop. “A gente teve uma queda de 2% e eles estão falando que o mercado em geral cresceu 9%. Não é real isso”, diz.
Tinho Azambuja, fundador da SideWalk, também contesta o dado da Alshop. “No dia 2 vou enviar notificação extrajudicial, particular da SideWalk, pedindo explicações sobre esses números. Eu quero saber de onde veio esse número totalmente irreal”, diz.



Com informações da Folha de S.Paulo e Agência Estado
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário