sábado, 14 de dezembro de 2019

Demitido e criticado por Bolsonaro, Ricardo Galvão vira cientista do ano

Demitido por Bolsonaro, por divulgar os dados do desmatamento, Ricardo Galvão aparece como cientista do ano na prestigiada revista científica Nature
O físico, Ricardo Galvão, demitido do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) do governo Bolsonaro, por divulgar os dados do desmatamento na Amazônia, vai figurar entre os dez cientistas do ano, na revista Nature, referência mundial no campo da ciência.


A divulgação da lista e reconhecimento ocorre nessa sexta-feira (13). Ricardo Galvão, ex-presidente do INPE  é um dos dez especialistas que irá figurar no “Nature 10“, que premia os destaques na ciência mundial.
Bolsonaro chegou a declarar que Ricardo Galvão “estaria a serviço de ONGS’ para tentar desqualifica-lo e desqualificar os dados do desmatamento, que aumentaram ao maior nível dos últimos 11 anos.


Depois dos ataques de Bolsonaro, Ricardo Galvão, vira cientista do ano na Nature, parece até uma ironia.


A demissão de Galvão, em agosto,  causou forte repercussão na comunidade científica internacional e nacional.
“A comunidade internacional está horrorizada com o que estão fazendo conosco. É muito grave que o governo queira suprimir informações que são públicas desde 2003. A intenção do governo é manipular os dados, os fatos não interessam”, disse ) Antônio Nobre, especialista em rios voadores da Amazônia, pesquisador senior do INPE a BBC
Rômulo Batista, defensor do Greenpeace no Brasil, disse em entrevista ao The Guardian, que a demissão de Ricardo Galvão do INPE, era uma manobra do governo para esconder dados reais, ele afirmou que “Este não é um governo baseado em fatos, é um governo cujo modus operandi é a mentira”
“Se ele acha que, ao demitir um cientista de renome internacional e trazer alguém que vai esconder ou distorcer ou introduzir dados que não são verdadeiros, ele conseguirá transmitir a falsa impressão de que o desmatamento na Amazônia está sob controle, ele está muito enganado. Existem inúmeros outros sistemas de monitoramento que mostram a verdade.” disse Batista.
O prêmio, pode ser considerado como derrota simbólica de Bolsonaro, que tentou desqualificar Galvão e os dados do aumento do desmatamento trazidos pelo INPE. Depois de chamar Greta Thunberg de “pirralha” e ela ganhar o reconhecimento de pessoa do ano da Revista Times, agora Galvão, recebe o reconhecimento da prestigiada revista científica Nature, por seu trabalho.


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário