segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Caso Marielle: Quem é o delegado que Bolsonaro ataca para inibir a apuração da verdade

por JOAQUIM DE CARVALHO

A nota das entidades que defendem os delegados de polícia do Brasil tem um parágrafo de especial gravidade.


“Valendo-se do cargo de Presidente da República e de instituições da União, claramente ataca e tenta intimidar o Delegado de Polícia do Rio de Janeiro, com intuito de inibir a imparcial apuração da verdade”.

(...)

O delegado é Daniel Rosa, que assumiu a chefia da Delegacia de Homicídios no Rio de Janeiro em março deste ano, depois que o antigo titular, Giniton Lages, deixou o órgão, após a prisão de Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz, aprontados como autores do assassinato da Marielle.


Em maio, dois meses depois de assumir a Delegacia, Daniel esteve à frente de uma das operações mais contundentes contra as milícias da Zona Oeste, que prendeu mais de 20 pessoas ligadas à quadrilha de um criminoso conhecido como Orlando Curicica.

Entre os presos, estavam dois homens suspeitos de clonar o carro usado no assassinato de Marielle e que entrou no condomínio de Bolsonaro, na tarde do crime.

Também foi preso Charles Dickson Pereira da Silva, que o Ministério Público apontaria, na denúncia, como “membro da malta que atuou na tentativa de homicídio do Delegado de Polícia Civil Daniel Rosa.”


(,,,)

O MP procurou o STF para comunicar que Bolsonaro foi citado na investigação e, portanto, deveria ser ouvido.

Mas aí é que a investigação travou.

O presidente do STF, Dias Toffoli, não autorizou.

Remeteu o caso ao procurador-geral, Augusto Aras, que, depois da reportagem do Jornal Nacional e da reação destemperada de Bolsonaro, mandou arquivar o caso.

Daí a contundência das nota assinada pelas entidades dos delegados: “Valendo-se do cargo de Presidente da República e de instituições da União, claramente ataca e tenta intimidar o Delegado de Polícia do Rio de Janeiro, com intuito de inibir a imparcial apuração da verdade”

Bolsonaro conseguiu o que queria: parou a investigação num ponto crucial.

Leia mais no DCM

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário