GOLPE DURO PARA BURGUESADA: Lula foi capa do maior jornal francês e Papa Francisco se manifestou

A carta de Lula, direto da prisão, foi capa de destaque do mais importante jornal francês, o Le Monde.

Rússia e China: pesadelo dos EUA se torna realidade

A nova política dos EUA em relação à China está levando à aproximação entre Moscou e Pequim, comenta o analista russo Timofei Bordachev.

URGENTE: Lava Jato pode ter fraudado documentos para incriminar Lula; CONFIRA CÓPIAS!

Surgem novos documentos que podem comprovar o que declarou o deputado Sibá em um encontro realizado no último sábado (5).

Lula preso sem provas, Paulo Preto ''com cem milhões" solto. Justiça?

Se alguém do campo progressista ainda tinha dúvidas sobre o posicionamento político do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foram relembrados nesta sexta-feira, 11.

Engenheiros da Petrobrás dizem que política de preços de combustíveis beneficia grupos estrangeiros

A AEPET reafirma o que foi expresso no Editorial “Política de preços de Temer e Parente é ‘America First!’ “, de dezembro de 2017.

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Nassif revela que condomínio de Bolsonaro não tem interfone

O jornalista Luis Nassif alerta para os erros de cobertura da Globo sobre as investigações do assassinato da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL) e revela que o condomínio onde mora Jair Bolsonaro, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, não tem interfone. "O condomínio abriu mão de interfones, por ser caro e por problemas de instalação. Optou-se por telefonar ou para o celular ou para o telefone fixo de cada proprietário", diz ele no Jornal GGN.

"No caso de Bolsonaro, as ligações são para o próprio celular de Bolsonaro. E é ele quem atende. O que significa que a versão do porteiro não era descabida. Ou seja, o fato de estar em Brasilia não o impedia de atender o telefone", acrescenta.

De acordo com matéria publicada na terça-feira (29) pelo Jornal Nacional, o porteiro afirmou à polícia que um dos responsáveis pelo crime Élcio de Queiroz entrou no local e disse que iria para a casa do então deputado Jair Bolsonaro. Os registros de presença da Câmara dos Deputados mostram que o então parlamentar estava em Brasília no dia.



O jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, havia atestad, no entanto, que o então parlamentar tinha passagem marcada para o Rio (confira). Segundo o Ministério Público (MP-RJ), o porteiro mentiu (veja aqui).

Nassif destaca, ainda, que o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) "também recebe os recados pelo celular. Em geral, fica pouco no condomínio, pois prefere permanece em seu apartamento na zona sul. Mas porteiros ouvidos por moradores sustentam que, naquele dia, ele estava no condomínio".


"O porteiro do depoimento está de férias. Mas moradores do condomínio foram, por conta própria, conversar com os demais porteiros. E eles garantiram que a ligação foi feita para Bolsonaro mesmo."


Fonte: Brasil 247

🎥Eduardo Bolsonaro ameaça ditadura e diz que se esquerda ´radicalizar´ teremos novo AI-5

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) flertou, pela segunda vez em uma semana, com a volta da ditadura militar no Brasil.



Em entrevista ao programa da jornalista Leda Nagle, publicada nesta quinta-feira (31), o filho do presidente Jair Bolsonaro defendeu que se houver “radicalização da esquerda” semelhantes às manifestações do Chile, “a resposta pode ser via um novo AI-5”.


Em seguida, o parlamentar foi questionado sobre uma suposta ligação entre o Foro de São Paulo e as manifestações no Chile. Para ele, a ação dos manifestantes chilenos é semelhante a dos black blocs. “Vai chegar um momento em que a situação vai ser igual ao final dos anos 60 no Brasil”, afirma.


“Alguma resposta vai ter que ser dada. Porque é uma guerra assimétrica, não é uma guerra em que você está vendo o seu inimigo do outro lado e você tem que aniquilá-lo como acontece nas guerras militares. É um inimigo interno, de difícil identificação aqui no país. Espero que não chegue a esse ponto, né, mas a gente de que estar atento”, sustentou.

Em 1968, a Ditadura Militar baixou o Ato Institucional de número 5, o que inaugurou um dos períodos mais sombrios do regime de repressão. O ato restabeleceu para o país as demissões sumárias, as cassações de mandatos e as suspensões de direitos políticos. Além disso, suspendeu as franquias constitucionais da liberdade de expressão e de reunião.



Fonte: Plantão Brasil

Promotora do caso Marielle é bolsonarista e postou foto com deputado que quebrou placa da vereadora

Uma das promotoras do Ministério Público do Rio de Janeiro responsável pela investigação do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes é assumidamente bolsonarista e já postou foto ao lado do deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL-RJ), um dos responsáveis por quebrar a placa que fazia homenagem à vereadora.

Publicações da promotora Carmen Eliza Bastos de Carvalho que denunciam seu alinhamento pró-Bolsonaro foram compartilhadas pelo jornalista do Intercept Brasil, Leandro Demori, nesta quinta-feira (31). Uma das postagens da promotora no Instagram, que é fechado, relata seus sentimentos no dia em que Bolsonaro assumiu a presidência. Veja abaixo. É chocante:




Abaixo está a procuradora que investiga o assassinato de Marielle ao lado do deputado que QUEBROU A PLACA de Marielle:




Fonte: Revista Fórum

Candidato da direita no Uruguai pede a Bolsonaro que não o apoie

Do Montevideo:

Depois que o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse em entrevista ao Estádio do Brasil que ele espera que o candidato do Partido Nacional, Luis Lacalle Pou, tenha sucesso no segundo turno em nosso país, o líder branco questionou essas declarações.
“Não é bom que os diferentes políticos, e neste caso os diferentes governantes, influenciem ou dêem sua opinião sobre o que pode acontecer em outro país”, disse Lacalle a repórteres, de acordo com o sublinhado.

“Se eu fosse presidente da República e houvesse um processo eleitoral no Brasil, por mais que eu gostasse um pouco do outro, certamente esperaria pelos resultados, porque, quem vencer, com ele tenho que me dar bem”, afirmou o candidato.
Questionado se essas declarações de Bolsonaro acrescentam ou subtraem sua campanha, Lacalle respondeu que não cabe a ele fazer essa análise. Além disso, ele disse que “felizmente” no Uruguai são os uruguaios que “decidem o que acontece e o que precisam”.


(…)

Bolsonaro se encontrou com Witzel, Toffoli e Aras antes de vazamento sobre caso Marielle

De acordo com o presidente, Witzel lhe contou no dia 9 de outubro sobre o envolvimento de seu nome nas investigações. Desde então, Bolsonaro se preparou para reagir a um eventual vazamento


Depois da veiculação de uma reportagem na noite de terça (29), pelo Jornal Nacional, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) declarou ao sair do hotel que está hospedado em Riad, na Arábia Saudita, que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, lhe contou no dia 9 de outubro que seu nome foi citado nas investigações do caso Marielle e que o processo estava no Supremo Tribunal Federal. Desde então, Bolsonaro articulou encontros com diversas autoridades para se preparar para um eventual vazamento.


“No dia 9 de outubro, às 21 horas, eu estava no Clube Naval do Rio de Janeiro quando o governador Witzel chegou para mim e disse: o processo está no Supremo”, disse. “Que processo? O que eu tenho a ver? E o Witzel disse que o porteiro citou meu nome. Ele sabia do processo que estava em segredo de Justiça”, continuou.
A conversa entre os dois aconteceu no Clube do Exército, em Brasília, ocasião do aniversário do ministro Augusto Nardes, do TCU (Tribunal de Contas da União). Bolsonaro deixou a festa minutos depois da conversa com o governador fluminense.


Desde então, o presidente se preparou para reagir a um possível vazamento da informação. Ele conversou sobre o tema, segundo informou Talita Fernandes e Gustavo Uribe, da Folha de S.Paulo, com amigos e aliados e fez diversas consultas sobre como deveria proceder.
Na dia 16 de outubro, Bolsonaro recebeu 3 dos 11 ministros do Supremo no Palácio do Planalto. Ele teve uma audiência com os ministros Alexandre de Moraes e Dias Toffoli, presidente da corte. Na sequência, falou a sós com Gilmar Mendes. As reuniões não estavam previstas na agenda divulgada pelo Planalto.


De acordo com a reportagem do Jornal Nacional, no dia 17, um dia depois do encontro de Bolsonaro com Toffoli, o presidente da corte teria recebido integrantes do Ministério Público Federal do Rio de Janeiro para tratar da menção a Bolsonaro na apuração sobre a morte de Marielle.
Ainda naquela semana, antes de embarcar para uma viagem de 12 dias por países da Ásia e do Oriente Médio, Bolsonaro recebeu seu advogado Frederico Wassef e o procurador-geral da República, Augusto Aras. Mesmo sem analisar o pedido de abertura de inquérito direcionado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, Aras já classificou a notícia do JN como “factóide”, favorecendo o presidente.


Fonte: Revista Fórum

Bolsonaro diz que Amazônia não está pegando fogo porque é úmida - a burrice do dia!

Em encontro com árabes nesta quarta-feira, Bolsonaro disse que a Amazônia não pode pegar fogo porque é úmida. Não acredita? Então assista abaixo. O dia foi tão corrido que quase passou batido.



Fonte: Plantão Brasil

Vitória para Lula: juíza da Lava Jato aceita pedido da defesa do ex-presidente e sua liberdade está mais próxima

Conjur - Uma liminar do ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, garante ao ex-presidente Lula o direito de permanecer preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

A decisão deve ser seguida até que seja concluído o julgamento do Habeas Corpus que trata da suspeição do ex-juiz Sergio Moro.

É como entendeu a juíza Carolina Moura Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, ao manter o ex-presidente recolhido em Curitiba.


A decisão é desta quarta-feira (30/10) e acolhe o pedido da defesa de Lula, feito pelos advogados Cristiano Zanin e Valeska Teixeira.

Na petição, eles negaram mais uma vez a concessão da progressão de regime para o semiaberto — benefício do qual o petista já pode usufruir.

Lebbos determinou ainda expedição de ofício a Fachin, informando que ela reconhece o preenchimento dos requisitos para a progressão de regime e que mantém ele lá até que haja deliberação da Corte Superior.


Fonte: Brasil 247

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Bandeira vermelha: Conta de luz ficará mais cara em novembro

VEJA

Segundo a Aneel, cobrança extra passará de R$ 1,50 para R$ 4,17 a cada 100 kWh consumidos, devido à expectativa de volume menor de chuvas
As contas de luz terão cobrança adicional em novembro, quando será acionada a bandeira tarifária vermelha nível 1 para as tarifas, devido à expectativa de menor produção nas hidrelétricas, principal fonte de geração de energia elétrica no Brasil, informou nesta sexta-feira, 25, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). As bandeiras resultam em cobranças adicionais para os consumidores quando saem do patamar verde para o amarelo ou para o vermelho.


Com isso, a taxa extra nas tarifas será de 4,169 reais a cada 100 quilowatts-hora consumidos (kWh). (…)

Polícia vai recuperar áudios do interfone de Bolsonaro para ver quem autorizou entrada do suspeito de matar Marielle

Os investigadores estão recuperando os arquivos de áudio da guarita do condomínio para saber com quem o porteiro conversou naquele dia e quem estava na casa 58, a de Jair Bolsonaro, e liberou a entrada dos suspeitos de matar Marielle Franco


A Polícia Civil do Rio de Janeiro quer saber quem, na casa de Jair Bolsonaro, liberou a entrada do policial Élcio Queiroz, em seu condomínio, no dia da morte de Marielle Franco. "Os investigadores estão recuperando os arquivos de áudio da guarita do condomínio para saber com quem o porteiro conversou naquele dia e quem estava na casa 58", informa reportagem publicada na Folha de S. Paulo.



"O principal suspeito de matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes, o sargento aposentado da Polícia Militar, Ronnie Lessa, reuniu-se com outro acusado, o ex-policial militar Élcio Queiroz, no condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. É o mesmo local onde o presidente Jair Bolsonaro tem uma casa. A reunião ocorreu no dia do crime, em 14 de março de 2018. Segundo depoimento de um porteiro do condomínio, obtido pelo programa, Élcio teria dito na portaria que iria à casa de Jair Bolsonaro, que na época era deputado. Segundo veiculado no Jornal Nacional, o livro de visitantes aponta que, às 17h10, Élcio informou que iria à casa de número 58. O porteiro disse no depoimento, no entanto, que acompanhou por câmeras a movimentação do carro no condomínio e que Élcio se dirigiu à casa 66, onde mora Lessa. O porteiro teria ligado novamente para a casa 58; segundo ele, quem atendeu disse que sabia para onde Élcio estava se dirigindo.No depoimento, o porteiro teria dito que, nas duas vezes que ligou para a casa 58, foi atendido por alguém cuja voz julgou ser de Jair Bolsonaro", informa ainda a reportagem.



Fonte: Brasil 247

URGENTE: Bolsonaro aciona Moro para tomar novo depoimento do porteiro e “afastar este fantasma”

Na Arábia Saudita, Bolsonaro diz que falou com Sergio Moro para tomar depoimento do porteiro para que uma possível hipótese de que ele seja "mentor da morte de Marielle seja enterrada de vez”


Em visita à Arábia Saudita, Jair Bolsonaro anunciou que vai usar o aparelho do Estado para “afastar o fantasma que querem colocar no meu colo”, sobre o envolvimento dele como “mentor” do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSol-RJ). O presidente afirmou que já acionou o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, para tomar depoimento do porteiro que teria envolvido seu nome.
“Estou conversando com o ministro da Justiça para a gente tomar, via PR, um novo depoimento desse porteiro para esclarecer de vez esse fato, de modo que esse fantasma que querem colocar no meu colo como possível mentor da morte de Marielle seja enterrado de vez”, disse Bolsonaro na madrugada desta quarta-feira (30) – no horário de Brasília -, segundo informações da BBC Brasil no Twitter.
Bolsonaro já levantou a tese de que “o porteiro ou se equivocou, ou não leu o que assinou”. “Pode o delegado ter escrito o que bem entendeu e o porteiro, uma pessoa humilde, ter assinado embaixo”, disse, acusando mais uma vez o envolvimento do governador fluminense, Wilson Witzel (PSC-RJ).
“Nós sabemos que (porteiros) são pessoas humildes, que quando são tomadas depoimento, sempre ficam preocupadas com algo. O porteiro está sendo usado pelo delegado da Polícia Civil, que segue ordens do Sr. Witzel governador.”
Aos berros
Em uma live transmitida na noite desta terça-feira (29), em que se mostra totalmente descontrolado, Bolsonaro se mostrou completamente abalado com as revelações trazidas pelo “Jornal Nacional”, da Globo, na noite desta terça-feira (29), que o associam ao assassinato da vereadora Marielle Franco em 2018.
“Eu não deveria perder a linha, sou presidente, mas confesso que estou no limite com vocês”, disse, após inúmeros berros, em referência à Globo, principal alvo de seus ataques.
“Vocês, TV Globo, o tempo todo infernizam minha vida, porra! Agora Marielle Franco, querem empurrar em cima de mim? Seus patifes! Canalhas! Não vai colar! Não tinha motivo pra matar ninguém no Rio de Janeiro”, disparou.


Segundo a reportagem da Globo, Élcio Queiroz, ex-policial militar, teria afirmado à portaria do condomínio em que morava o presidente que iria para a casa de Jair Bolsonaro, mas se dirigiu a casa de Ronnie Lessa, apontado como o autor dos disparos contra Marielle, que fica no mesmo condomínio. Segundo depoimento do porteiro que estava na guarita, uma pessoa identificada como “Seu Jair” autorizou a entrada de Élcio no mesmo dia do assassinato da vereadora. Saiba mais aqui.

terça-feira, 29 de outubro de 2019

🎥Bolsonaro foi citado por suspeito de matar Marielle Franco, revelam investigações

Investigações da Polícia Civil revelam que um dos suspeitos do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes foi ao condomínio onde mora o ex-PM Ronnie Lessa, apontado como autor dos crimes. Na portaria, o suspeito teria dito que iria visitar Jair Bolsonaro, que também tem casa no local, mas estaria em Brasília no dia. Com a revelação, inquérito deve ser levado ao STF

Investigações sobre os assassinatos da vereadora Marielle Franco e do seu motorista Anderson Gomes revelaram que um dos suspeitos dos crimes citou Jair Bolsonaro. Com isso, as investigações devem ser levadas para o Supremo Tribunal Federal, por conta do foro privilegiado de Bolsonaro.
Segundo revelações do Jornal Nacional na noite desta terça-feira (29), a Polícia Civil do Rio de Janeiro teve acesso ao caderno de visitas do condomínio na Barra da Tijuca, na Zona Sul do Rio, onde Bolsonaro tem casa e o policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle.
O porteiro contou à polícia que, horas antes do assassinato, em 14 de março de 2018, o outro suspeito do crime, Élcio de Queiroz, entrou no condomínio e disse que iria para a casa do então deputado Jair Bolsonaro. Mas os registros de presença da Câmara dos Deputados mostram que Bolsonaro estava em Brasília no dia.
Ainda de acordo com a reportagem do Jornal Nacional , às 17h10 da data do crime, ele escreve no livro de visitantes o nome de quem entra, Élcio, o carro, um Logan, a placa, AGH 8202, e a casa que o visitante iria, a de número 58. Élcio é acusado pela polícia de ser o motorista do carro usado no crime.
O porteiro contou que, depois que Élcio se identificou na portaria e disse que iria pra casa 58, ligou para a casa 58 para confirmar se o visitante tinha autorização para entrar. Disse também que identificou a voz de quem atendeu como sendo a do "seu Jair" – ele confirmou isso nos dois depoimentos.
No registro geral de imóveis, consta que a casa 58 pertence a Jair Messias Bolsonaro. O presidente também é dono da casa 36, onde vive um dos filhos dele, o vereador do Rio Carlos Bolsonaro (PSL).
Como houve citação ao nome do presidente, a lei obriga o Supremo Tribunal Federal (STF) analise a situação.



Fonte: Brasil 247

Bolsonaro e príncipe saudita acusado de mandar matar jornalista se reúnem

Do Uol.

Em viagem ao Oriente Médio, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) firmou acordos com os Emirados Árabes e se hospedou no hotel mais luxuoso da região. Hoje, em novo capítulo da tentativa de aproximação com os países árabes, ele se reúne com o príncipe da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman. Submerso pelo mais recente embate econômico com o Irã, Salman coleciona atritos diplomáticos, sendo o mais notório deles em relação ao assassinato do jornalista Jamal Khashoggi dentro do consulado saudita em Istambul no ano passado.
(…)

EFEITO BOLSONARO: Ford vai demitir 600 trabalhadores

A produção na fábrica da Ford em São Bernardo do Campo (SP) será encerrada nesta quarta-feira, com a demissão dos cerca de 600 funcionários que ainda trabalham na linha de montagem no dia seguinte, 31 de outubro. A informação é do Sindicado dos Metalúrgicos do ABC, que realiza amanhã assembleia com os trabalhadores a partir das 8h, em frente à Portaria 5 da montadora.


O término das atividades na fábrica, operada pela Ford desde 1967, acontece em meio a uma indefinição nas negociações entre a marca oval azul e a Caoa para eventual aquisição das instalações no ABC paulista - e absorção de parte dos demitidos.


Leia mais no UOL

🎥Magoado, Nando Moura tira todos os livros de Olavo de Carvalho de sua livraria: “Estou muito triste”

"Não consigo mais reconhecer o autor dos livros que eu li", desabafou o youtuber, após sofrer ataques de seu ídolo



O youtuber bolsonarista Nando Moura publicou um vídeo neste domingo (27) respondendo a ataques que sofreu do guru do governo de Jair Bolsonaro (PSL), Olavo de Carvalho. Nando diz que ficou muito triste com a situação e que tirou todos os livros do astrólogo de sua livraria.

“Não consigo mais reconhecer o autor dos livros que eu li. E praticamente todos, 95%. Mas enfim, professor Olavo de Carvalho, apesar dos pesares, eu desejo só o melhor”, disse o youtuber. De acordo com Nando, Olavo de Carvalho o tratou com “profundo desprezo” e o chamou de “idiota” por apoiar a Lava Toga.
Confira:

62 people are talking about this
Fonte: Revista Fórum

Bolsonaro se hospeda em hotel mais luxuoso do mundo em Abu Dhabi

Jair Bolsonaro escolheu nada menos que o hotel mais luxuoso do Oriente Médio para fazer a sua viagem: o Emirates Palace, em Abu Dhabi, capital do Qatar. No hotel um capuccino custa R$ 82, cerca de oito vezes o que a bebida custa no Brasil. O local tem flocos de ouro de 23 quilates (96% puro). 
A hospedagem foi paga pelo governo anfitrião, como é praxe em visitas presidenciais, e não com dinheiro público, como publicamos inicialmente de forma incorreta.
Até cinco quilos do metal precioso são usados todos os anos na decoração de pratos, sobremesas e drinques. O palácio custou R$ 3 bilhões e levou três anos para ser construído, por 20 mil trabalhadores. 


O Emirates é um palácio com um quilômetro de extensão de uma ponta a outra e um domo central de 72,6 metros de altura. É de De propriedade do governo emiradense e administrado pela cadeia alemã Kempinski.
De acordo com informações do jornal Folha de S.Paulo, as diárias dos 394 quartos e suítes do Palace começam em R$ 2.665 por noite, no mais simples. O preço não inclui café da manhã.


Há 16 unidades da mais cara, a Palace, com três aposentos e 680 metros quadrados, cortinas de seda e ornamentos de prata e ouro, ao preço de R$ 34.604 por noite (preços pesquisados para a próxima semana).


Fonte: Brasil 247 

Ministros do STF cobram de Toffoli atitude contra ataques do clã Bolsonaro

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) insatisfeitos com o novo ataque à suprema corte por parte de Jair Bolsonaro estão exigindo uma atitude do presidente do tribunal, Dias Toffoli. A publicação do vídeo no qual Bolsonaro é retratado como um leão atacado por hienas, entre elas o Supremo, detonou as insatisfações


A coluna Painel da Folha de S.Paulo informa que Toffoli foi acionado por uma ala de ministros segundo os quais a atitude leniente com excessos da família que hoje ocupa o Planalto não é produtiva em “um sistema de responsabilidades, porque não educa”.  
Estes ministros consideram que é preciso cobrar Bolsonaro pelas mensagens enviadas em seu nome.   
Segundo a coluna, como sempre, Toffoli  botou panos quentes na polêmica.  
A publicação do vídeo no qual Bolsonaro é retratado como um leão atacado por hienas, entre elas o Supremo, detonou as insatisfações. Integrantes do tribunal avisaram que não é a primeira vez que a corte é alvo do clã Bolsonaro.   
Está vivo na memória da corte o episódio em que Eduardo Bolsonaro disse que bastava um cabo e um soldado para fechar o STF. 
Para esses ministros incomodados com as agressões do clã, esse discurso alimentou a narrativa de militantes bolsonaristas contra a corte.  
Mesmo considerando reservadamente que a publicação do vídeo foi feita por Carlos Bolsonaro, esses ministros opinam que a responsabilidade é do pai, não só sobre a conta, mas sobre o teor do que é postado nela.


Fonte: Brasil 247

Celso de Mello se irrita com vídeo postado por Bolsonaro: “O atrevimento presidencial parece não encontrar limites”

“Esse comportamento revelado no vídeo em questão, além de caracterizar absoluta falta de 'gravitas' e de apropriada estatura presidencial, também constitui a expressão odiosa de quem desconhece o dogma da separação de poderes", disse o ministro do STF


O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou nesta segunda-feira (28) a postura do presidente Jair Bolsonaro por postar um vídeo em suas redes sociais colocando-se como um leão atacado por uma alcateia de hienas formada por partidos, organizações e o próprio STF. A publicação foi apagada após uma chuva de críticas.


O ministro, que vai deixar a corte no próximo ano por atingir a idade de aposentadoria obrigatória, classificou que Bolsonaro desconhece a separação dos poderes e que tem medo de um Judiciário independente.
“Esse comportamento revelado no vídeo em questão, além de caracterizar absoluta falta de ‘gravitas’ e de apropriada estatura presidencial, também constitui a expressão odiosa (e profundamente lamentável) de quem desconhece o dogma da separação de poderes e, o que é mais grave, de quem teme um Poder Judiciário independente e consciente de que ninguém, nem mesmo o Presidente da República, está acima da autoridade da Constituição e das leis da República”, diz o magistrado em trecho da nota enviada à Folha.


No vídeo que foi apagado das redes de Bolsonaro, o presidente é um leão atacado por hienas, que representariam partidos políticos como PT, PSOL, PCdoB, PDT, PSDB e o próprio PSL, além da ONU, do STF, da OAB, do MST, da CUT, do Greenpeace, do feminismo, do MBL e de veículos da grande mídia, como Globo, Folha, Estado de S. Paulo e Jovem Pan.
“O atrevimento presidencial parece não encontrar limites na compostura que um Chefe de Estado deve demonstrar no exercício de suas altas funções, pois o vídeo que equipara, ofensivamente, o Supremo Tribunal Federal a uma “hiena” culmina, de modo absurdo e grosseiro, por falsamente identificar a Suprema Corte como um de seus opositores”, disse ainda o ministro.


Confira a íntegra da resposta de Celso de Mello:
A ser verdadeira a postagem feita pelo Senhor Presidente da República em sua conta pessoal no “Twitter”, torna-se evidente que o atrevimento presidencial parece não encontrar limites na compostura que um Chefe de Estado deve demonstrar no exercício de suas altas funções, pois o vídeo que equipara, ofensivamente, o Supremo Tribunal Federal a uma “hiena” culmina, de modo absurdo e grosseiro, por falsamente identificar a Suprema Corte como um de seus opositores.


Fonte: Revista Fórum

Queiroz diz, em áudio vazado, que demoraram para pegá-lo

Em novo vazamento, Queiroz aparece xingando promotores do Ministério Público responsáveis pela investigação da COAF


Em novo áudio vazado, divulgado com exclusividade pelo UOL nesta segunda-feira (28), o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), Fabrício Queiroz, ataca o Ministério Público e diz que as investigações contra ele demoraram muito. No domingo, uma série de gravações foi revelada, demonstrando que Queiroz coordenava junto de Jair Bolsonaro todas as demissões e contratações dos gabinetes do clã.



“Esses depoimentos, cara, eles vão lá e pegam mesmo, esses filhos da puta, rapaz. Até demorou a pegar. O Agostinho foi depor no dia 11 de fevereiro, de janeiro, parece que ele foi depor”, disse Queiroz no dia 21 de fevereiro.
Segundo Constança Rezende, colunista do UOL que obteve o material com exclusividade, “Agostinho” se refere a Agostinho Moraes da Silva, ex-funcionário do gabinete de Flávio na ALERJ. Até o momento ele é a única testemunha que aceitou depor sobre o inquérito aberto no caso do COAF.


Áudios revelados pela Folha mostram ainda que Queiroz orquestrava as demissões e contratações nos gabinetes da família Bolsonaro junto do atual presidente, Jair Bolsonaro. Um dos casos é a exoneração de Cileide Barbosa Mendes, doméstica da família Bolsonaro e “laranja” na empresa do ex-marido de Ana Cristina Valle (que foi casada com o presidente), do gabinete de Carlos Bolsonaro na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.
“Na época, o Jair falou para mim que ele ia exonerar a Cileide porque a reportagem estava indo direto lá na rua e para não vincular ela ao gabinete. Aí ele falou: ‘Vou ter que exonerar ela assim mesmo’. Ele exonerou e depois não arrumou nada para ela não? Ela continua na casa em Bento Ribeiro?”, diz o ex-assessor no áudio, gravado em março deste ano (ouça aqui).


Fonte: Revista Fórum