terça-feira, 3 de setembro de 2019

Diretora do PSL, que fez campanha para Flávio Bolsonaro, é investigada por venda de lote em área de milícia

Alessandra Ferreira aparece fotos ao lado do senador Flávio Bolsonaro e da Major Fabiana, eleita deputada federal pelo PSL do Rio e que hoje atua como secretária de vitimização no governo de Wilson Witzel


Reportagem de Constança Rezende, no portal Uol desta terça-feira (3), revela que uma diretora do PSL do Rio de Janeiro, que fez campanha para Flávio Bolsonaro(PSL-RJ) na disputa ao senado em 2018, é investigada por venda de lotes ilegais em Paciência, na zona oeste da capital fluminense, que é dominada por milícias.


Alessandra Ferreira de Araújo vendia lotes no Residencial Gabriela, que é investigado pela Polícia Civil e foi alvo de operações por pelo menos três vezes. Ela diz desconhecer o inquérito.
No entanto, segundo a reportagem, ela teria sido intimada na semana passada pelo delegado Marcus Henrique para prestar esclarecimentos sobre o caso, na 36ª Delegacia de Polícia (Santa Cruz). A diretora do PSL também é investigada pela Polícia Federal.


Os lotes eram anunciados em outdoors com venda “diretamente com o proprietário, com parcelas a partir de R$ 600, sem análise de crédito”. “Aqui você pode”, dizia o anúncio, que também incluía. “Aceitamos seu carro como entrada”.


Alessandra aparece em várias fotos em redes sociais ao lado do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e da Major Fabiana, eleita deputada federal pelo PSL do Rio e que hoje atua como secretária de vitimização no governo de Wilson Witzel. Ela também seria amiga de Fabrício Queiroz, pivô do escândalo de rachadinhas protagonizado por Flavio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).


Fonte: Revista Fórum
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário