sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Desigualdade sobe, e pobreza chega a 23,3 milhões de pessoas

O Brasil vive o mais longo período de aumento de desigualdade da sua história, com crescimento da concentração de renda há 17 trimestres, segundo estudo do economista da FGV Social Marcelo Neri. O levantamento mostra ainda que o número de pobres cresceu no país e chegou a 23,3 milhões em 2017, dado mais recente. São pessoas que vivem com menos de R$ 233 por mês.

O desemprego elevado, que ainda atinge 12 milhões de pessoas, é a principal causa para a alta da desigualdade.


A dificuldade de encontrar uma vaga prejudica ainda mais os jovens. A renda do trabalho dos brasileiros com idade entre 20 e 24 anos encolheu 17% entre o quarto trimestre de 2014 e o segundo trimestre de 2019, diz o estudo.
Saiba mais detalhes sobre o estudo e entenda por que a renda dos mais pobres cai enquanto a dos mais ricos cresce na reportagem exclusiva do GLOBO.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário